O metro de Lisboa faz 60 anos — e as obras foram assim

Corria o ano de 1957, a RTP começava as emissões regulares e Lisboa estava "voltada de pernas para o ar". As obras do metropolitano de Lisboa transformavam então a cidade numa "floresta de madeira e aço" e, "com perfeito civismo", o lisboeta lá se sujeitava aos "incómodos" desta "grande obra" — a locução ajuda a descobrir o que era uma televisão nacional em tempos de Estado Novo.

O metro de Lisboa seria inaugurado a 29 de Dezembro de 1959, dia em que o Estado e a Igreja se uniram numa curta viagem entre os Restauradores e a Rotunda (hoje Marquês de Pombal). Foi há 60 anos — e este vídeo, propriedade da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, mostra a construção deste "verdadeiro ninho de toupeiras".

As primeiras escavações começaram em 1955, com tapumes recortados para os alfacinhas espiarem o que ali surgia. Seis décadas volvidas, as 11 estações e os 6,5 quilómetros de extensão passaram a 56 e 44,5 quilómetros, distribuídos por quatro linhas independentes. A rede prestes a voltar a crescer (para Estrela e Santos, ainda que com contestação), num presente que se revela atribulado.

Vê também:

Sugerir correcção