Depois de Florbela e Al Berto, um filme para Amadeo

Vicente Alves do Ó tem em mãos mais um biopic de um artista português. A rodagem do seu filme sobre o pintor Amadeo de Souza-Cardoso acabou este mês, a estreia será em 2020.

Foto
patrícia andrade

Estamos no início do século XX. A avó de Amadeo de Souza-Cardoso, interpretada por Eunice Muñoz, benze-o com água e azeite contra o mau-olhado, para evitar que o neto tenha de lutar na Grande Guerra. Lúcia Moniz, que encarna a irmã do artista, protesta: “A avó não pode fazer isso, Deus castiga!” A cena passa-se em Manhufe, a terra natal do pintor, no concelho de Amarante, mas está a ser rodada numa quinta em Sintra; outro edifício da propriedade faz as vezes de Paris – a Câmara Municipal de Amarante, argumenta a Ukbar Filmes, não conseguiu garantir “condições mínimas” para um “projecto desta dimensão”. Entre sucessivos takes, Vicente Alves do Ó, argumentista e realizador de Amadeo, explica que uma amiga da sua mãe também benzia contra o mau-olhado e comenta com Eunice que é alentejano como ela. No fim, batem-se palmas e anuncia-se que é a última cena da veterana actriz neste terceiro biopic que Alves do Ó tem em mãos, e que chegará às salas de cinema portuguesas em 2020.