Um Natal sem chuva e soalheiro, depois da depressão Elsa

Os efeitos da passagem da depressão Elsa deixarão de ser sentidos já no próximo domingo. Até lá, a previsão é de vento forte: vem aí a depressão Fabien.

árvore de Natal
Foto
Miguel Manso

A passagem da depressão Elsa trouxe chuva, vento forte e agitação marítima ao continente, mas os seus efeitos deixarão de ser progressivamente sentidos ao longo dos próximos dias. As previsões apontam para um Natal sem chuva, soalheiro e com “temperaturas agradáveis para a época do ano”, descreveu à TVI a meteorologista Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. 

As temperaturas máximas situar-se-ão entre “os 15 e os 19 graus, à excepção das terras mais altas”, acompanhadas por pouco vento e sol “se não houver neblinas nem nevoeiro”: são estas as previsões para os dias 23, 24 e 25 de Dezembro.

No dia de Natal os distritos mais quentes serão Setúbal e Évora, com 20ºC de máxima. As previsões apontam para máximas 19ºC em Faro, Aveiro, Beja, Braga, Coimbra, Leiria, Santarém, 18ºC em Lisboa, Porto e Viana do Castelo, 17ºC em Castelo Branco, 16ºC em Portalegre e Viseu, 14ºC em Bragança e na Guarda e 13ºC em Vila Real

Nas ilhas, o Funchal tem temperatura máxima prevista de 23ºC, com céu limpo, e Ponta Delgada contará com 18ºC de máxima e previsão de chuva.

Adeus, Elsa, olá Fabien

Os efeitos da passagem da depressão Elsa deixarão de ser sentidos nas próximas horas. Mas a previsão é de vento forte: no sábado, “a partir das 6h, o vento soprará com maior intensidade”, devido à depressão Fabien, que se irá posicionar entre as Ilhas Britânicas e França, mas que terá algum impacto no estado do tempo em Portugal.

A Fabien atingirá principalmente o Norte e o Centro, estando previstos intensos períodos de chuva e vento forte de sudoeste, com rajadas que podem atingir 90 km/hora no litoral norte e centro e 120 km/hora nas terras altas.

Segundo o IPMA, os efeitos da Fabien não deverão ter em Portugal continental a mesma intensidade do que os da Elsa, prevendo-se uma melhoria gradual do estado do tempo a partir de domingo.

Os avisos para o território continental estarão activos até este sábado, “com excepção do aviso de agitação marítima”, em especial para o Oeste. Prevê-se que o aviso passe a vermelho nas próximas horas.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) tem nesta sexta-feira sob aviso laranja (o segundo mais grave) 12 distritos de Portugal continental e a costa norte da Madeira devido sobretudo à agitação marítima. Leiria, Santarém e Portalegre estão sob aviso laranja também devido às previsões de precipitação forte durante a tarde.

Sugerir correcção