Excedente de 0,2% em 2020 já assume que 590 milhões nunca serão descativados

Quando faz a estimativa para o saldo orçamental, o Governo opta por não incluir uma parte das despesas alvo de cativações. Prática tem sido seguida ao longo dos anos e no ano passado foi muito criticada pela oposição.

Foto
Até Setembro ainda estavam por descongelar 835,2 milhões de euros dos 1053 milhões de cativações iniciais daniel rocha

É uma prática repetida já há vários anos, motivo de protestos em algumas ocasiões e que volta a acontecer na proposta de Orçamento do Estado para 2020 entregue na segunda-feira pelo Governo. Ao apresentar a sua estimativa de excedente orçamental de 0,2% para o próximo ano, o Executivo parte logo do princípio que não irá executar uma parte das despesas que serão autorizadas pelo Parlamento.