“Oitavos” da Champions recheados de finais antecipadas

Real Madrid defronta o Manchester City, Atlético de Madrid mede forças com o actual campeão, Liverpool, e a Juventus de Ronaldo viaja até França.

Foto
O sorteio da Champions em Nyon Reuters/DENIS BALIBOUSE

Realizou-se, esta segunda-feira, o sorteio dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Para os apreciadores de bom futebol o sorteio foi bondoso, com emparelhamentos que, em edições anteriores, ficaram reservados para as fases derradeiras da competição. 

O Borussia Dortmund vai a Paris medir forças com o Paris Saint-Germain. O duelo grande dos “oitavos” será disputado entre o Real Madrid e o Manchester City de Pep Guardiola. À semelhança dos “citizens”, os italianos da Atalanta também viajam até Espanha, para defrontar o Valência.

O Atlético de Madrid, clube onde actua o internacional português João Félix, terá de defrontar o actual detentor do troféu, Liverpool. Numa reedição da final de 2012, os londrinos do Chelsea defrontam o Bayern de Munique, actual quinto classificado do campeonato alemão.

Cristiano Ronaldo e companhia viajam até Lyon, enquanto José Mourinho defronta o Leipzig, adversário do Benfica na fase de grupos da competição.

Por último, o Barcelona, um dos favoritos à vitória na prova, terá de ultrapassar o Nápoles para seguir para os quartos-de-final.

Mourinho “de olho” no Benfica

Se quer estar nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, o treinador português José Mourinho bem pode analisar, com cuidado, aquilo que o Benfica fez (ou não fez) nesta prova. É que o Tottenham foi sorteado com o RB Leipzig, equipa à qual o Benfica não conseguiu vencer no grupo G e que triunfou no Estádio da Luz.

Olhando para os nomes das equipas, este Leipzig seria, teoricamente, um adversário interessante para Mourinho. Apesar da falta de história e tradição na prova, o Leipzig é, no entanto, o líder da Liga alemã e conta com uma equipa junta há algum tempo e que tem o internacional alemão Timo Werner como grande figura. Forsberg e Sabitzer são dois criativos que muitos problemas podem causar a um Tottenham que ainda demonstra problemas na transição defensiva e na forma de preencher o espaço central do meio-campo.

Apesar de ser vista como uma equipa de segunda linha, esta formação da zona oriental da Alemanha é, na Champions, a terceira equipa com maior percentagem de posse de bola por jogo, a quinta que mais tempo passa no meio-campo adversário e a quarta com mais remates feitos. É, portanto, uma equipa que gosta de dominar os jogos, algo que poderá ser interessante para jogadores como Son e Lucas explorarem as transições.

João Félix com montanha para escalar

Outro jogo que muito dirá aos portugueses é o duelo entre o Atlético de Madrid e o Liverpool. A equipa de João Félix vai defrontar o campeão europeu e líder da Liga inglesa, algo que, logo à partida, coloca o português com um pé fora da competição.

É que o Atlético está, por um lado, num momento pouco fulgurante e com dificuldade em fazer boas exibições, enquanto o Liverpool, por outro, tem mantido a matriz que já trazia da temporada passada, com muita pressão aos adversários, muitos remates e muitos golos.

Este jogo tem, porém, algo a favor do Atlético: a equipa de Simeone é, tradicionalmente, uma formação forte e confortável a defender, uma estratégia que poderá ter de usar frente aos campeões europeus. As dificuldades para jogar em ataque organizado e continuado serão, portanto, “mascaradas” frente a um Liverpool presumivelmente ofensivo. Espera-se um jogo de transições e muita velocidade e uma eliminatória a pender para o lado inglês, pelo menos no plano teórico.

Ronaldo com fortuna, Bernardo nem tanto

Destaque, ainda, para o duelo entre Juventus e Lyon, um desfecho que significa alguma fortuna no sorteio para Cristiano Ronaldo. O português vai defrontar um dos “brindes” destes oitavos-de-final, um Lyon longe do nível dos “tubarões” e que, para piorar, estará sem a estrela Memphis Depay, lesionado com gravidade neste fim-de-semana.

Por fim, Bernardo Silva e o seu Manchester City terão confronto com o Real Madrid. Não sendo um Real “assustador”, a equipa de Guardiola não deixará de ter pela frente uma formação com uma tremenda experiência europeia e “tarimba” em jogos a eliminar e que conta com jogadores como Benzema, Hazard ou Fede Valverde, jovem que muito tem dado ao jogo ofensivo espanhol. É, possivelmente, o duelo mais palpitante destes “oitavos”, com Guardiola a regressar a Espanha para defrontar um Real que tantas vezes superou como treinador do Barcelona.