Teatro Rivoli

Sereias cantam uma raiva a nascer-nos nos dentes

O País a Arder é o álbum manifesto de uma banda que, mais que uma banda, é um levantamento. Sereias é o nome. Grito erguido contra o conformismo, contra a tepidez. Rock visceral incinerado por lança-chamas free-jazz. Um dos álbuns obrigatórios de 2019 chegou quase no fim do ano.

Foi aquilo a que se pode chamar um momento fundador. Um convidado de última hora apareceu no ensaio e apareceu com estrondo. Equipado com touca e fato de banho, meteu mãos ao trabalho. Instrumentos ligados, música a acontecer, João Pires a fustigar as peles da bateria. “A certa altura, estava a olhar para aquilo tudo, o Tom a tocar baixo, o saxofonista, o Sérgio de joelhos com uma ventoinha apontada à guitarra, o Pedro a declamar o Loucura e o Kenneth, de touca, a cantar aos saltos qualquer coisa como ‘laga laga laga’. Foi então que pensei: ‘Temos banda!’”.