Torne-se perito Crónica

Os devassos puritanos

Foi esta semana divulgado, com larga difusão, como é habitual sempre que se trata destes assuntos, um inquérito do Centro de Estudos da Federação Académica de Lisboa que apresenta os números (em percentagens) da violência sexual a que os universitários dizem ter sido submetidos. Num item do inquérito é dito (e cito a notícia do PÚBLICO) que “poucos (17,8%) não encaram como uma violência continuar a ter sexo quando o/a parceiro/parceira adormece durante o acto”.