Autoridades chilenas encontram destroços de avião desaparecido e restos mortais de passageiros

Serão feitos testes para confirmar que se trata da aeronave da Força Aérea chilena que fazia ligação base na Antárctida. Seguiam 38 pessoas a bordo.

Foto
Destroços encontrados pela equipa de busca Reuters/Fuerza Aerea de Chile

O avião chileno que desapareceu com 38 pessoas a bordo, na segunda-feira, enquanto se dirigia para uma base na Antárctida, foi localizado pelas equipas de busca. Esta quinta-feira, o ministro da Defesa chileno, Alberto Espina, revelou numa conferência de imprensa que foram recuperados os restos mortais de alguns dos 38 passageiros. Os destroços foram encontrados a poucos quilómetros da última localização registada pelo avião no radar — perto da passagem de Drake, o ponto que liga as partes Sul do oceano Atlântico e do oceano Pacífico.

“Partes de corpos que são, muito provavelmente, de passageiros do avião, foram encontrados juntamente com vários destroços. Lamento imenso esta perda de vidas”, afirmou o general Arturo Merino.

Três dos 38 passageiros eram civis. As autoridades acreditam que ninguém a bordo da aeronave pertencente à Força Aérea do Chile tenha sobrevivido ao desastre aéreo. Nas operações de busca participaram mais de 23 de aviões e uma dezena de barcos.

Na sexta-feira terá início o processo de identificação dos restos humanos encontrados. Também serão conduzidos testes aos destroços, para garantir que se tratam de partes pertencentes ao avião que desapareceu na segunda-feira.

PÚBLICO -
Foto
Autoridades acreditam que estes destroços pertençam à aeronave da Força Aérea FACh HANDOUT

O avião de carga, um Hércules C130, descolou da base aérea de Chabunco, na cidade de Punta Arenas, no Sul do país, às 16h55 (19h55 em Portugal) de segunda-feira. Os operadores aéreos perderam o contacto com a aeronave pouco depois das 18h. No momento do corte de comunicações, a aeronave tinha percorrido 725 quilómetros de uma viagem com cerca de 1240.