Rússia diz que pode organizar os seus próprios Jogos Olímpicos

A presidente do Parlamento russo diz que a Agência Mundial Antidopagem “não é a Inquisição”.

A Rússia está proibida de levar uma comitiva de atletas às Olimpíadas
Foto
A Rússia está proibida de levar uma comitiva de atletas às Olimpíadas Reuters/Jim Young

“Acho que a Rússia pode realizar os seus próprios Jogos Olímpicos, para os quais convidaria os melhores atletas, os atletas de classe mundial. A Rússia tem uma enorme experiência na organização de grandes competições internacionais”. A frase é de Valentina Matviyenko, presidente do Parlamento russo, e surgiu nesta quarta-feira em resposta às sanções impostas ao país pela Agência Mundial Antidopagem (AMA).

Na segunda-feira, a Rússia foi excluída das competições internacionais por um período de quatro anos, na sequência da descoberta de um esquema de doping com conhecimento e apoio estatal, tornado público há cerca de seis anos. Além da ausência em Tóquio 2020, o país ficará também impedido de participar em outras grandes competições mundiais, incluindo a qualificação para o Campeonato do Mundo de futebol de 2022.

“A AMA é uma das muitas organizações desportivas mundiais que estão a passar por uma crise. Os nossos atletas podem continuar a preparar-se para todas as competições. Não devem parar e todos devemos estar unidos. A AMA não é a Inquisição”, frisou Matviyenko, nesta terça-feira, à imprensa russa.

Já o presidente do Comité Olímpico da Rússia,  Stanislav Pozdniakov, declarou que os atletas sem ligações a casos de doping devem continuar a preparação para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, apesar da condenação da AMA. “Continuam em pleno os preparativos para os Jogos Olímpicos [de 2020] e para outros grandes eventos desportivos”, afirmou Pozdniakov, citado pela agência noticiosa russa Interfax.