Eleições

Pacto de Justiça e salário dividem candidatos à Ordem dos Advogados

Esta sexta-feira saber-se-á quem representará a classe nos próximos três anos. Se o actual bastonário Guilherme Figueiredo, que se recandidata e é acusado de inacção no mandato que agora termina, se Menezes Leitão, que é contra os pactos na Justiça.

Um abdicará dos quatro mil euros limpos do salário de bastonário dos advogados se for eleito, o que significa que continuará a exercer advocacia e não se dedicará em exclusivo à função. O outro acumulará a reforma com o ordenado de bastonário, uma vez que acabou de se aposentar. Na próxima sexta-feira saber-se-á qual será o novo representante da advocacia portuguesa no próximo triénio: Menezes Leitão, que promete ser mais combativo que o actual detentor do cargo, Guilherme Figueiredo, ou este último, que se recandidata depois de um mandato que primou pela discrição.