Opinião

O jornalismo não precisa de ser salvo pelo Estado

Enquanto escrutinar o governo for mais importante do que escrutinar um grupo económico, será sempre preferível o “mecenato ideológico” ao financiamento público.

Na semana passada, o Sindicato dos Jornalistas organizou uma conferência sobre o financiamento dos media, e vários comentadores regressaram a um dos temas mais quentes do momento: deve o Estado começar a financiar os grupos de comunicação, tendo em conta as enormes dificuldades por que têm passado, face ao declínio dramático de vendas de jornais e revistas (no caso da imprensa), das audiências dos canais generalistas (no caso da televisão) e da fuga da publicidade para os grandes gigantes digitais, como o Google ou o Facebook (no caso de todos)?