As réguas e esquadros da Molin vão voltar às mochilas no próximo ano

Marca histórica de material de desenho que abriu falência em 2001 vai regressar à produção. O empresário da concorrente Maber, que comprou as máquinas nos leilões de insolvência, é agora o detentor da designação comercial.

Foto
NELSON GARRIDO

As réguas, esquadros, escantilhões e outros materiais de desenho e escrita que se tornaram alguns dos objectos mais reconhecidos da marca Molin vão regressar ao mercado no início de 2020.