Prendas, enfeites e ceia: como ter um Natal — e um 2020 — mais verdes com #p3_antiplastico?

Como ter um Natal e uma passagem de ano mais verdes e livres de plástico? Fazes todas as tuas compras em mercearias? Todos os teus presentes são feitos à mão? Dá-nos as tuas dicas.

"Natal sem plástico. Árvore de canas, efeitos de Natal de madeira e papel. Embrulhos com papel reciclado reaproveitado de sacos de compras. E assim é o nosso Natal a tentar evitar ao máximo o plástico, mesmo na escolha dos presentes." Rita Gonçalves
Fotogaleria
"Natal sem plástico. Árvore de canas, efeitos de Natal de madeira e papel. Embrulhos com papel reciclado reaproveitado de sacos de compras. E assim é o nosso Natal a tentar evitar ao máximo o plástico, mesmo na escolha dos presentes." Rita Gonçalves

É Natal, é Natal. Começa a correria pela melhor prenda, a melhor árvore, os melhores enfeites, o melhor embrulho, a melhor ceia. Mas será mesmo preciso? Porque não alugar uma árvore para ajudar os bombeiros? Ou escolher oferecer momentos e experiências, ao invés de produtos? Afinal, o que se pode fazer para contornar esta generalizada euforia de consumo? Já perguntávamos no ano passado: Como ter um Natal e uma passagem de ano mais verdes e livres de plástico? Fazes todas as tuas compras em mercearias? Todos os teus presentes são feitos à mão? 

Inspira-nos. Dá-nos as tuas dicas. Durante o mês de Dezembro, fotografa e partilha os teus exemplos no Instagram com a etiqueta #p3_antiplastico ou envia-nos imagens e pequenos depoimentos para [email protected]. O que aprendermos, partilharemos por aqui.

"Uma proposta de embrulho, no mínimo, original. Foi um embrulho pensado pelo meu irmão Artur Soares, para oferecer dinheiro no interior. Os típicos envelopes têm os dias contados. A concha está selada por cola, mas basta fazer um bocadinho de força que abre."
"Uma proposta de embrulho, no mínimo, original. Foi um embrulho pensado pelo meu irmão Artur Soares, para oferecer dinheiro no interior. Os típicos envelopes têm os dias contados. A concha está selada por cola, mas basta fazer um bocadinho de força que abre." Tânia Soares
"O ano passado comecei a deixar o papel de embrulho de lado e a enrolar as minhas prendas em folhas de jornais. Sou jornalista e para mim faz todo o sentido aproveitar os jornais velhos lá de casa de forma o mais original possível. Escolho folhas que tenham títulos interessantes e fotos ou desenhos bonitos, relacionados com a pessoa e com a prenda que escondem. Porque as melhores notícias da minha vida são realmente pessoas. "
"O ano passado comecei a deixar o papel de embrulho de lado e a enrolar as minhas prendas em folhas de jornais. Sou jornalista e para mim faz todo o sentido aproveitar os jornais velhos lá de casa de forma o mais original possível. Escolho folhas que tenham títulos interessantes e fotos ou desenhos bonitos, relacionados com a pessoa e com a prenda que escondem. Porque as melhores notícias da minha vida são realmente pessoas. " Rita Inácio
"Digo que não gosto de receber prendas, que não gosto de comprar prendas… mas e aí? Quando chega na clínica e recebe uma prenda desta? Uma paciente que eu adoro deixa num saco de papel outro saco de pano muito lindo que já enchi de pão de queijo para levar para o trabalho. Em Portugal, o saco chama-se taleigo, aquele antigo saco de pano que servia para levar tanta coisa, ao invés de usar o saco de plástico. (...) Hoje como (muito) menos carne, apago luzes desnecessárias, compro menos e uso menos plástico possível. Ainda uso carro e adoro tomar banho, temos que diminuir ainda mais o uso de plástico em casa. Temos que trabalhar nisso. Não dá mais para chamar as pessoas de ecochatas e fingir que o negócio não é com a gente."
"Digo que não gosto de receber prendas, que não gosto de comprar prendas… mas e aí? Quando chega na clínica e recebe uma prenda desta? Uma paciente que eu adoro deixa num saco de papel outro saco de pano muito lindo que já enchi de pão de queijo para levar para o trabalho. Em Portugal, o saco chama-se taleigo, aquele antigo saco de pano que servia para levar tanta coisa, ao invés de usar o saco de plástico. (...) Hoje como (muito) menos carne, apago luzes desnecessárias, compro menos e uso menos plástico possível. Ainda uso carro e adoro tomar banho, temos que diminuir ainda mais o uso de plástico em casa. Temos que trabalhar nisso. Não dá mais para chamar as pessoas de ecochatas e fingir que o negócio não é com a gente." @rafaellamagalhaesphotos/Instagram
"Decoração e postais de Natal, na minha escola neste Natal"
"Decoração e postais de Natal, na minha escola neste Natal" Micaela Faria
"Vou embrulhar prendas com sobras de tecidos. <i>Furoshiki</i>, em japonês, mas fácil de reproduzir qualquer que seja a língua falada!"
"Vou embrulhar prendas com sobras de tecidos. Furoshiki, em japonês, mas fácil de reproduzir qualquer que seja a língua falada!" Regina Sequeira
"Ontem a Raquel embrulhou os primeiros presentes com algumas folhas pintadas pela Madalena - que nos seus três anos ficou toda orgulhosa - dando um uso excelente, e personalizado, àqueles papéis. De certeza que podem fazer coisas assim, aproveitando, por exemplo, as capas de jornais ou as capacidades artísticas da miudagem."
"Ontem a Raquel embrulhou os primeiros presentes com algumas folhas pintadas pela Madalena - que nos seus três anos ficou toda orgulhosa - dando um uso excelente, e personalizado, àqueles papéis. De certeza que podem fazer coisas assim, aproveitando, por exemplo, as capas de jornais ou as capacidades artísticas da miudagem." Abel Coentrão
"Esta é a nossa coroa de Natal da loja. Aproveitamos as vides que provavelmente iam para uma lareira e usamos as nossas grinaldas de feltro para dar um bocadinho de cor. É assim o espírito natalício sem desperdício"
"Esta é a nossa coroa de Natal da loja. Aproveitamos as vides que provavelmente iam para uma lareira e usamos as nossas grinaldas de feltro para dar um bocadinho de cor. É assim o espírito natalício sem desperdício" @zero_plastico/Instagram
Annie Spratt/Unsplash
Sugerir correcção