A chef três estrelas Michelin que eliminou a carne dos seus restaurantes

Dominique Crenn nem é vegetariana, mas diz estar a tentar a fazer aquilo que acha mais correcto para o planeta.

,Mesa do Chef
Foto
City Foodsters/CC BY 2.0/https://creativecommons.org/licenses/by/2.0

Quando, este Verão, a ONU publicou um relatório em que concluía que a diminuição do consumo de carne e a redução do desperdício de alimentos poderia ajudar a salvar o planeta da crise climática, Dominique Crenn​, a primeira chef a conquistar três estrelas Michelin nos EUA – para o Atelier Crenn –, decidiu que a carne não voltaria a entrar nas carta dos seus restaurantes em São Francisco, na Califórnia, EUA. E que era altura de anunciar essa política que, na realidade, já andava a seguir há algum tempo.

“O que não era muito falado é que desde que abri o Petit Crenn em 2015, este tem sido exclusivamente vegetariano e piscitariano. Nunca tivemos ali carne”, disse Crenn à CNN, referindo que, porém, nunca o tinha anunciado. 

Mas a experiência carne-zero já tinha, entretanto, passado também para o seu restaurante 3 estrelas Michelin: há dois anos que já não há carne no seu Atelier, que se tem especializado em desenvolver pratos vegetarianos e piscitarianos dentro da cozinha tradicional francesa.

“Não sou vegetariana”, admite a chef, de origem francesa, que também advoga o comércio justo e a compra directa aos agricultores, além de também cultivar o que precisa na sua quinta. Para Crenn, que em 2016 foi considerada a melhor chef do mundo nos prémios World's 50 Best Restaurants, a sua decisão passa por uma questão de “consciência”. “Temos de ter consideração pelo ecossistema em que vivemos e não destruí-lo por causa da gratificação instantânea.”, sublinha, acrescentando: "A forma como usamos a carne hoje em dia tem um impacto negativo. Está a matar-nos. Está a matar o planeta.”

Crenn está também envolvida numa campanha para “desperdício zero” na restauração e apelou a que todos os restaurantes Michelin da Califórnia se juntem ao projecto (uma das palavras-chave é “acordem!").

No fundo, diz estar a “tentar tomar a melhor decisão” para ela e “para o planeta” e sem tentar “impor nada a ninguém”, tentar fazer com que as pessoas pensem nas consequências das suas dietas e que cheguem às suas próprias conclusões.

Actualmente, a chef está a preparar a abertura do seu próximo restaurante, que será exclusivamente vegetariano, Boutique Crenn, com data prevista de inauguração para 2020 na Salesforce Tower de São Francisco. Além do Atelier e do Petit, a chef tem também um bar de vinhos, o Bar Crenn, também com direito a estrela Michelin.

Texto editado por Luís J. Santos

Sugerir correcção