ASAE apreende marfim de cria de elefante à venda na internet por 1500 euros

Quatro dentes de marfim estavam à venda na Internet por 1500 euros.

Foto
Peças de marfim que estavam à venda na Internet ASAE

Foram apreendidas, na Figueira da Foz, quatro peças de marfim de elefante. Em comunicado enviado este sábado às redacções, a ASAE detalha que estes dentes de marfim — provenientes de uma cria de elefante — estavam à venda na Internet por 1500 euros.

O indivíduo suspeito de tentar comercializar estas peças de marfim foi alvo de um processo de contra-ordenação por venda ilegal de espécimes de espécie protegidas.

O comércio internacional de marfim de elefante está proibido, ao abrigo da Convenção Internacional da Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), assinado por 183 membros, incluindo a União Europeia, incentivando os estados a garantir que o marfim de origem ilegal é destruído.

Em Setembro, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) destruiu mais de 1500 quilos de marfim de elefante de origem ilegal, apreendido pela Polícia Judiciária numa operação realizada em 2017.

Estas operações de destruição de marfim têm como objectivo desincentivar o tráfico ilegal deste produto que é a causa principal para a caça furtiva de elefantes.