Evo Morales vai instalar-se na Argentina — mas antes visita Cuba

Líder boliviano quer estar mais perto do seu país e do seu partido, quando se preparam eleições para o substituir.

Presidente da Bolívia
Foto
Evo Morales UESLEI MARCELINO/Reuters

O ex-Presidente da Bolívia, Evo Morales, está a planear deixar o México, onde vive como exilado político há quase um mês, para fixar residência na Argentina, onde Alberto Fernández toma posse como Presidente na terça-feira.

Morales deixou este sábado o México com destino a Cuba num voo comercial. “Segundo nos disseram, trata-se de uma visita temporária”, disse no Twitter um porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, Roberto Velasco. Adiantou que se trata de uma viagem para fins médicos, já que os médicos cubanos que o seguiam estão agora no seu país.

O Governo mexicano concedeu a Morales, ao que era seu vice-presidente Álvaro García Linera e à ex-ministra da Saúde, Gabriela Montaño (que partiu para Cuba) documentação de exilados que lhes permite entrar e sair do país. 

A intenção de Morales, diz a edição America do jornal El País, é fixar residência na Argentina para estar mais perto da Bolívia e manter um contacto mais frequente com o seu partido Movimento para o Socialismo, que procura um candidato para as presidenciais cuja data ainda não foi marcada. 

Morales, prossegue o jornal, está a tentar assistir à tomada de posse de Alberto Fernández, um chefe de Estado favorável, mas há dúvidas sobre essa possibilidade pois, de momento, as decisões são tomadas pela equipa do Presidente cessante, Mauricio Macri, de direita. 

Evo Morales, que se mudou há dias para uma casa particular, depois de ter ficado numa base militar no país que lhe concedeu asilo político, deixou a Bolívia a 12 de Novembro, dois dias depois de se ter demitido, pressionado pelos militares e após semanas de manifestações violentas nas ruas contra a sua eleição.