Menos mortes nas estradas, mas mais acidentes e feridos graves

Ao todo, morreram 435 pessoas nas estradas portuguesas este ano. O número de acidentes e feridos graves aumentou, mas o número de mortes foi inferior ao mesmo período de 2018.

Neste ano houve mais 1572 acidentes do que em 2018
Foto
Neste ano houve mais 1572 acidentes do que em 2018 paulo pimenta

O número de mortos nas estradas portugueses desceu entre 1 de Janeiro e 30 de Novembro relativamente ao mesmo período do ano passado, mas o número de acidentes e de feridos graves subiu, segundo dados provisórios oficiais.

De acordo com o último balanço da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), relativo a 11 meses, morreram 435 pessoas nas estradas, menos 21 do que no período homólogo (456).

Entre 1 de Janeiro e 30 de Novembro deste ano foram registados 122.322 acidentes, mais 1572 do que no período homólogo (120.750). No mesmo período ficaram feridas com gravidade 2048 pessoas, mais 107 do que nos 11 meses de 2018.

A ANSR indica também que 38.332 pessoas sofreram ferimentos ligeiros, mais 647 do que em igual período do ano passado (37.685).

O balanço da ANSR, que reúne dados da GNR e PSP, destaca também que na última semana de Novembro (22 a 30 de Novembro) morreram seis pessoas e 48 ficaram feridas com gravidade na sequência de acidentes rodoviários.

Entre 1 de Janeiro e 30 de Novembro deste ano, o distrito com maior número de mortos foi o do Porto (53), seguido de Lisboa (43), Braga (34), Aveiro e Santarém (ambos com 32).

Lisboa com mais feridos graves

O distrito de Lisboa foi o distrito com mais feridos graves (289), seguido do Porto (209) e de Faro (206).

Os dados da ANSR indicam igualmente que entre 1 de Dezembro de 2018 e 30 de Novembro de 2019, foram registados 487 mortos nas estradas (menos 19 relativamente ao período entre 1 de Dezembro de 2017 e 30 de Novembro de 2018) enquanto os feridos graves subiram para 2.248 (mais 108).

Os dados da ANSR referem-se a óbitos que ocorrem no local do acidente ou durante o respectivo transporte até à unidade de saúde e os valores relativos aos feridos graves são referentes a vítima de acidente cujos danos corporais obriguem a um período de hospitalização superior a 24 horas.