Fiscalização das secretas insiste nos metadados

É recomendado que operadoras portuguesas de comunicações electrónicas conservem dados de acordo com a jurisprudência europeia.

Foto
Antenas de telemóvel num prédio em Lisboa: fiscalizadores insistem nos metadados PEDRO CUNHA/Arquivo

O Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa (CFSIRP) volta a insistir na necessidade de as secretas terem acesso aos denominados metadados, dados de tráfego e duração das comunicações obtidos sem acesso ao conteúdo das chamadas e das mensagens escritas de SMS.