Greta Thunberg
Greta Thunberg a bordo do Malizia II LUSA/ANDY RAIN
Perguntas e Respostas

A viagem de Greta Thunberg está a terminar: como foi e o que se segue

E 21 dias depois, terra. Greta Thunberg chega esta terça-feira, 3 de Dezembro, a Lisboa. Pretexto para uma revisão da matéria dada – e para vermos o que se segue.

A chegada: quando e onde?

Greta Thunberg chega a Lisboa de barco na manhã desta terça-feira. O desembarque será na Doca de Santo Amaro, em Alcântara, e pode acontecer a partir das 8h. Sabe-se que a recebê-la estarão o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e ao que o P3 apurou também vão estar presentes vários deputados: entre eles, os bloquistas José Maria Cardoso (líder da comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território), Manuel Grilo (vereador da Câmara de Lisboa) e Maria Manuel Rola; os socialistas Ricardo Pinheiro (coordenador do grupo parlamentar dentro da supracitada comissão), Miguel Matos e Maria Begonha (secretária-geral da JS e deputada); a comunista Alma Rivera; o social-democrata Hugo Carvalho (membro da comissão do Ambiente) e o deputado e líder do PAN, André Silva. Marcelo Rebelo de Sousa, por seu turno, já disse que não iria comparecer, por considerar que poderia ser “considerado aproveitamento político”.

O que vai acontecer?

Segundo um comunicado da associação ambientalista Zero, que em conjunto com a Climáximo e a Greve Climática Estudantil está a cuidar da logística e comunicação da passagem da activista por Portugal, segue-se uma “breve” conferência de imprensa. Primeiro, falam os jovens grevistas portugueses, seguindo-se Riley Whitelum e Nikki Henderson, respectivamente comandante do barco e membro da tripulação/marinheira profissional. Greta Thunberg fará depois uma intervenção e, por fim, haverá espaço para perguntas da comunicação social.

E a seguir?

Depois de um período de descanso, Greta deverá partir para Madrid ainda na mesma noite. Vai de comboio, chegando à capital espanhola na manhã seguinte, para por fim participar na 25.ª Conferência das Partes (COP) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, que decorre na capital espanhola até 13 de Dezembro. Para além disso, a sueca vai juntar-se aos milhares de activistas de todo o mundo que vão participar numa contra-cimeira convocada pelo movimento Fridays For Future para 6 de Dezembro.

Como foi a viagem até cá?

No mínimo, demorada. A jovem, que está a um mês de completar 17 anos, saiu dos EUA a 13 de Novembro e alcança terra ao fim de 21 dias. As primeiras previsões apontavam a chegada para o final do mês passado, o que daria mais que tempo para Greta Thunberg estar presente no arranque da COP25, nesta segunda-feira. Falou-se até da possibilidade de a activista participar na Greve Climática por cá a 29 de Novembro – e, claro, da sua presença no Parlamento. Porém, as más condições climáticas com que a tripulação se deparou no meio do Atlântico obrigaram o barco a diminuir velocidade – e ditaram o atraso.

Com quem veio?

Chega acompanhada do seu pai, Svante Thunberg, e do popular casal de youtubers australianos, Riley Whitelum e Elayna Carausu, que estão a viajar pelo mundo a bordo do La Vagabonde com o filho de 11 meses, Lenny, partilhando vídeos de toda a sua experiência. A tripulação fica completa com a iatista e marinheira profissional Nikki Henderson, que, de acordo com o The Times, teve de voar do Reino Unido para os EUA para pilotar o barco até Portugal, o que, diz o jornal britânico, faz com que a viagem de barco tenha uma pegada carbónica semelhante ao voo que Greta poderia ter apanhado.

Que barco é este? E o que faziam a bordo?

Chama-se La Vagabonde e é um catamarã com quase 15 metros, modelo Outremer 45, que, diz o La Vanguardia, é “muito conhecido pelos velejadores” e tem uma pegada carbónica quase nula (está equipado com painéis solares e geradores movidos a água). Nas redes sociais, entre fotografias de satélite bem desfocadas, a tripulação foi dando pistas do dia-a-dia a bordo: houve muitos enjoos; todas as refeições eram vegan; Greta tem muito jeito para entreter o bebé Lenny, que começou a andar em terra e não tem tido oportunidade para praticar; a roupa é lavada num balde; e que não é fácil fazer exercício num barco tão pequeno. Também é possível acompanhar em directo o trajecto:

Ela já não tinha andado de barco?

Sim – e quem sabe se não voltará. Greta recusa-se andar de avião, devido às emissões poluentes das viagens aéreas. Em Agosto, a activista atravessou o Atlântico no barco Malizia II, cedido gratuitamente pelo filho da princesa Carolina do Mónaco, Pierre Casiraghi, para marcar presença na Cimeira da Acção Climática, que aconteceu em Setembro, em Nova Iorque, e na COP25, que iria ter lugar no Chile. No entanto, os protestos e manifestações que estalaram no país sul-americano levaram o presidente Sebastián Piñera a anunciar que não havia condições para ser anfitrião da cimeira. “Parece que viajei meio mundo na direcção errada”, escreveu na altura Greta no Twitter, aproveitando para pedir ajuda para voltar a atravessar o Atlântico novamente.

Quem é Greta Thunberg?

Para o caso improvável de nunca teres ouvido falar de Greta Thunberg (ou se vives em Marte), fica aqui uma pequena apresentação. Em Setembro de 2018, a jovem iniciou uma greve escolar todas as sextas-feiras em frente ao Parlamento sueco para exigir medidas contra as alterações climáticas. O protesto inspirou um movimento global (chamado Fridays for Future) e tem-na levado a ser recebida por líderes mundiais e a participar em conferências de alto nível. Também podes testar os teus conhecimentos sobre ela aqui.