Frederico Morais vence “segunda divisão” do surf mundial

O surfista de Cascais, de 27 anos, regressa ao escalão principal do surf (WCT) com outro estatuto, não só por já lá ter estado, mas também por subir ao WCT como campeão do circuito de qualificação.

Morais em Peniche, em 2018.
Foto
Morais em Peniche, em 2018. LUSA/CARLOS BARROSO

O surfista português Frederico Morais venceu o circuito mundial de qualificação (WQS) de 2019, equivalente ao segundo escalão do surf mundial. No Havai, concluída que está a 57.ª e última prova do circuito, o português não foi além do 33.º lugar, algo que não o impediu, ainda assim, de vencer a competição global.

“Kikas”, que já tinha assegurado o regresso ao circuito mundial (WCT), somou 26.400 pontos, mais 2600 e 3200 do que os brasileiros Jadson André e Yago Dora, segundo e terceiro classificados, respectivamente.

Na subida ao circuito mundial, Morais, Jadson e Dora terão a companhia do sul-africano Matthew McGillivray, dos australianos Jack Robinson, Ethan Ewing, Connor O"Leary e Morgan Cibilic e dos brasileiros Alex Ribeiro, Miguel Pupo e Deivid Silva.

O surfista natural de Cascais, de 27 anos, regressa ao circuito mundial com outro estatuto, não só por já lá ter estado, mas também por subir ao primeiro escalão como campeão do circuito de qualificação. Em 2016, quando se qualificou para a primeira vez para o WCT, o português tinha terminado o circuito de qualificação no terceiro lugar.