Chico Buarque vai receber Prémio Camões no dia 25 de Abril em Lisboa

O autor de Essa Gente, o seu mais recente romance, virá a Lisboa no próximo ano receber o mais importante prémio do universo da língua portuguesa.

,Meu irmão alemão
Foto
Stringer .

A entrega do Prémio Camões a Chico Buarque acontecerá em Lisboa, no dia 25 de Abril do próximo ano, confirmou ao PÚBLICO o Ministério da Cultura. A notícia foi dada pelo jornal brasileiro O Globo que escreveu que “a data é significativa, dia da Revolução dos Cravos — a propósito, Chico compôs Tanto mar, em 1975, para homenagear justamente o movimento que derrubou a ditadura de Salazar.”

O compositor e escritor Francisco Buarque de Hollanda, conhecido como Chico Buarque, que acaba de publicar um novo romance, Essa Gente (Companhia das Letras), sucedeu ao cabo-verdiano Germano Almeida e é o 13.º autor brasileiro a receber a distinção, entre nomes como Jorge Amado ou João Cabral de Melo Neto. O valor total do prémio Camões é de 100 mil euros, divididos entre Brasil e Portugal. Mas quando a reunião dos júris decorre no Brasil, a entrega é em Portugal, e vice-versa. 

O Prémio Camões, o mais importante do universo da língua portuguesa, foi-lhe atribuído a 21 de Maio por um júri que se reuniu a na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro. Nessa altura o escritor disse: “Fiquei muito feliz e honrado de seguir os passos de Raduan Nassar”, referindo-se ao mais recente brasileiro a ganhar o prémio em 2016.

Quando passavam cinco meses após o anúncio da atribuição do prémio a Chico Buarque, o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro​ sugeriu que não iria assinar o diploma de entrega do Prémio Camões e aos jornalistas deixou claro que não tinha essa assinatura entre as suas prioridades, atirando-a para o termo de um eventual segundo mandato, em 31 de Dezembro de 2026: “Até 31 de Dezembro de 2026, eu assino”, disse, citado pelo jornal Folha de S. Paulo. Na altura, Chico Buarque publicou uma resposta na sua conta no Instagram: “A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prémio Camões”.

A parte financeira do prémio foi resolvida em Junho, e a assinatura do diploma é apenas uma formalidade, mas o documento poderá chegar às mãos do músico sem a assinatura do presidente do Brasil.

Sugerir correcção