Marketing espanhol criou “falsas expectativas”, diz empresa responsável pela Capital do Natal

Empresa considera tempo de espera algo “normal” e rejeita acusações de más condições para as renas presentes no recinto. Abaixo-assinado para encerrar parque reúne mais de 2280 assinaturas.

Foto
A Christmas Fun Park, responsável pelo evento Capital do Natal, reagiu às críticas de que tem sido alvo por parte dos visitantes DR

A Christmas Fun Park, responsável pelo evento Capital do Natal reagiu às críticas de que tem sido alvo por parte dos visitantes. Muitas das pessoas que visitaram o recinto ficaram insatisfeitas com a experiência proporcionada, dizendo-se vítimas de “publicidade enganosa” de um local que tinha sido descrito como uma “recriação total da Lapónia”, com direito a neve, pista de patinagem no gelo e Pai Natal. 

A organizadora alega, numa publicação feita na noite desta segunda-feira página do Facebook, que “blogues e agências de viagem” espanholas veicularam informação incorrecta sobre o evento, levando a que os visitantes tenham criado “falsas expectativas” que afectaram “negativamente a sua experiência” no parque.

Nas redes sociais, foram várias as queixas sobre as longas filas e períodos de espera para usufruir das atracções do espaço. A Christmas Fun Park considera “normal” a existência de tempo de espera, devido à afluência na Capital do Natal. Vamos, obviamente, continuar a procurar optimizar a forma como o público acede aos equipamentos, de forma a haver uma maior fluidez e a acelerar o processo de entrada nas atracções e a experiência dos visitantes”, pode ler-se na publicação.

Esta empresa endereçou ainda os visitantes que denunciaram más condições para as renas que fazem parte do evento. Uma fotografia mostra um destes animais imóvel, com açaime, deitado sobre um piso sintético. A Christmas Fun Park rejeita veementemente as acusações de maus tratos, garantindo que as renas possuem as devidas licenças emitidas pelas entidades competentes. “As renas pertencem, de resto, à entidade ‘Burros do Magoito’, uma entidade idónea e fidedigna, conhecida pelo tratamento exemplar que dá aos seus animais”, finalizam.

PÚBLICO -
Foto
Fotografia de rena partilhada nas redes sociais DR

Câmara de Oeiras vai investigar queixas

A Câmara de Oeiras comprometeu-se esta segunda-feira a “proceder à averiguação dos factos” que estão a levar centenas de turistas espanhóis a reclamar contra um parque de Natal, que abriu portas este fim-de-semana em Algés, concelho de Oeiras. "Tendo tomado conhecimento de reclamações de visitantes da Capital do Natal, evento privado e apoiado por diversas entidades, a Câmara Municipal de Oeiras já está a proceder à averiguação dos factos”, lê-se num comunicado divulgado pela autarquia.

O Christmas Fun Park da Europa está a ser comercializado também em Espanha, e este fim-de-semana foram vários os espanhóis que se deslocaram ao parque nos arredores de Lisboa.

Contudo, centenas deles estão esta segunda-feira a tecer grandes críticas à Capital do Natal, a exigir o dinheiro de volta e o encerramento do parque, alegando que a imagem que lhes foi vendida não corresponde à realidade, e que “nem neve havia”. “Fraude Capital do Natal” foi o nome escolhido para a página de Facebook criada no domingo “para pessoas que foram enganadas pela Capital do Natal, tanto aqueles que perderam seu tempo e dinheiro como aqueles que já adquiriram ingressos e não podem recuperar seu dinheiro” e que já tem 1934 membros, lê-se na descrição da página.

O mesmo nome foi dado a um abaixo-assinado onde se pede que o parque seja encerrado e que já foi assinado por mais de 2280 pessoas.

Afirmando que o parque é “uma farsa para todos que compraram um ingresso para passar o dia”, os promotores do abaixo-assinado dizem ainda que a organização da Capital do Natal “ignora as reclamações daqueles que pagaram por algo que foi prometido e não foi cumprido” e continuam a “vender bilhetes para enganar mais turistas e pessoas no seu país”. Por isso, pedem “assinaturas para tentar fechar o parque”, para não “enganarem mais pessoas”.

Segundo o jornal espanhol Hoy, a União de Consumidores da Estremadura (UCE) já recebeu mais de uma centena de reclamações de publicidade enganosa, porque as “instalações não correspondem à realidade”. Do lado dos portugueses, também foram escritas várias críticas na página oficial de Facebook da Capital do Natal, mas ainda ninguém apresentou queixa na DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor. “Neste momento, não temos registo de qualquer reclamação”, disse fonte da DECO à Lusa, pelas 20h15.

Na página oficial de Facebook da Capital do Natal podem ler-se comentários como “Antes de mais muitos parabéns pelo marketing que envolve o evento, parabéns pela comunicação que engana qualquer um. Gostaria de saber onde posso reclamar sobre este evento” ou “Podiam ter publicado as fotos do dia de ontem, dos caminhos totalmente enlameados onde os pés das pessoas se afundam em lama, das impossíveis filas, dos quiosques fechados, dos farelos sujos da ‘pseudo-neve’ que lá enfiaram, das crianças à procura de um Pai Natal que não foi chamado à festa”.

O evento em questão vai decorrer até 12 de Janeiro: os bilhetes têm um custo de 25 euros para crianças dos 3 aos 12 anos e pessoas com mais de 65 anos, e de 30 euros para adultos.