“Narcosubmarino”: polícia espanhola já deteve quatro suspeitos. Um deles é o piloto

Dois dos tripulantes foram detidos logo no domingo, mas o terceiro, o piloto do submarino, terá conseguido fugir. Esta semana, as autoridades conseguiram prender o último tripulante e um outro homem que os terá ajudado a partir de terra.

Fotogaleria
Anna Costa
Carro
Fotogaleria
Anna Costa
Fotogaleria
Anna Costa

As autoridades espanholas já detiveram quatro homens suspeitos de estarem envolvidos no caso do submergível com mais de 20 metros que cruzou o Atlântico, a partir de um país da América Latina, com cerca de três toneladas de cocaína a bordo.

De acordo com o El País, a polícia espanhola deteve esta semana dois homens galegos: um deles foi o piloto do submersível que ficou encalhado junto a uma praia galega, no município de Cangas, na Galiza. O outro terá sido o contacto que os três tripulantes da embarcação tinham em terra para os ajudar em caso de necessidade. O homem, que foi detido em sua casa esta sexta-feira, chegou mesmo a ir até à praia para ajudar os outros três suspeitos quando estes decidiram, numa primeira fase, tentar afundar o submergível, e, depois de não o conseguirem, a abandonar o “narcosubmarino”.

 O jornal espanhol revela também que os agentes estarão agora a investigar a organização de tráfico de drogas à qual os três homens pertencem.

O submergível, apreendido na Galiza na segunda-feira após uma perseguição que levou os tripulantes a tentar afundar a embarcação, passou antes ao largo da costa portuguesa, num trajecto que foi acompanhado pela PJ. A operação teve o apoio da Marinha e da Força Aérea, as entidades com meios técnicos capazes de detectar uma embarcação que não quer ser encontrada. O submarino passou a “bastante distância” da costa portuguesa, distância essa que foi diminuindo à medida que se foi aproximando da costa galega. 

Foi a primeira vez que se confirmou o uso deste tipo de embarcação para traficar droga para a Europa, um modus operandi que as redes internacionais já usavam para transportar cocaína da Colômbia para os Estados Unidos da América, explicou ao PÚBLICO nessa segunda-feira um responsável português ligado ao combate do narcotráfico. 

A bordo seguiriam três tripulantes. Dois, de origem equatoriana, foram detidos logo no domingo pelas autoridades espanholas e o terceiro, o piloto, conseguiu fugir. As polícias espanholas montaram uma aparatosa operação de busca, mas só esta sexta-feira conseguiram capturar o suspeito. Tal como avançaram o jornal La Voz de Galicia​, o piloto tem nacionalidade espanhola e conhecia bem as praias de Cangas.

A operação internacional, coordenada pelo Centro de Análise e de Operações contra o Narcotráfico Marítimo (MAOC-N, na sigla inglesa), que envolveu as autoridades portuguesas e espanholas, permitiu uma vitória considerável no combate ao tráfico de droga.