Árvore, luzes, trânsito, acção: o Natal já chegou ao Porto

A partir deste sábado, e durante seis semanas, cidade é palco de concertos de música, teatro, dança, cinema, circo. Há mercados de Natal, pistas de gelo, trânsito alterado e metro reforçado. Árvore dos Aliados ilumina-se esta tarde.

Árvore tem 30 metros e 31600 lâmpadas
Foto
Árvore de Natal do Porto tem 30 metros e 31.600 lâmpadas Nelson Garrido

Quem estiver na Avenida dos Aliados este sábado pelas 18 horas testemunhará o momento simbólico de arranque da época natalícia no Porto. As 31600 lâmpadas da árvore de Natal de 30 metros da avenida, mesmo junto à Câmara do Porto, vão acender-se e inaugurar o epicentro dos festejos portuenses. Durante seis semanas, haverá largas dezenas de espectáculos (a maioria deles gratuitos) um pouco por toda a cidade: concertos de música, teatro, circo, cinema, instalações, oficinas, contos (dentro da árvore gigante). O Metro do Porto vai adaptar-se à época – e há alterações no trânsito a ter em conta.

Centremo-nos nos Aliados. O fogo-de-artifício e o Postal de Natal, espectáculo multimédia projectado na fachada da câmara, vão seguir-se ao momento solene da árvore. Mas ainda antes da iluminação se acender, quando o dia ainda não se ter dado à noite, a maior “sala” da cidade já estará animada. Às 15h30, o chileno Deivy Ruiz, mais conhecido como Mimo Huenchulaf, dará corpo ao espectáculo Um sorriso muda a vida. Uma hora depois, Agir, Ana Bacalhau, Irma e Matay protagonizam um momento pensado especialmente para este dia. Depois, às 18h30, a banda retro The Lucky Duckies recorda clássicos dos anos 20 a 60 e canta alguns temas de Natal.

Chileno Mimo Huenchulaf vai estar no Porto este sábado

Os Aliados continuam, depois deste dia, a ser local de muitos momentos culturais e de divertimento. Estão prometidos espectáculos de rua que cruzam humor, magia, malabarismo e acrobacia. A árvore servirá de casa para algumas actividades, sobretudo para os mais novos, com o interior da enorme estrutura a receber leituras de contos de Natal e outras histórias e até um espectáculo de marionetas (dia 22, 18h30). Os coros itinerantes também passarão por ali. E quatro peças de teatro – bem como O Quebra-Nozes pelo Centro de Dança do Porto, prometem maravilhar o público. No último domingo antes do Natal (dia 22), dois concertos voltam a animar o palco: Francisco Murta, uma das vozes emergentes da música nacional, às 16h30 horas, e o maior e mais antigo coro de gospel português, às 18h.

PÚBLICO -
Foto
Os Aliados são o epicentro da festa, mas há espectáculos por toda a cidade Paulo Pimenta

Para chegar a este e outros pontos da cidade sem enlouquecer no trânsito, a melhor opção são mesmo os transportes públicos. Este sábado, a operação será reforçada a partir das 14h e até à uma da manhã, com todos os veículos com duas composições e frequência reforçada em todas as linhas (excepto a do aeroporto) – ficando a estação dos Aliados fechada. O reforço do metro será estendido a todos os sábados nas linhas azul, vermelha e amarela.

No domingo, no Clube Fenianos Portuenses, um “coro espontâneo” canta para a cidade em oito varandas do imponente edifício vizinho da câmara do Porto. O “coro das janelas” (entre as 16 e as 18h) terá técnicos a ensaiar quem quiser integrá-lo e finalizará com um concerto de várias músicas natalícias. Nos Fenianos, há ainda uma feira do livro, uma exposição de Filatelia e Milonga de tango argentino e um estúdio de criatividade para crianças. Ao Coliseu do Porto, volta o tradicional circo de Natal já a partir do dia 13 de Dezembro. 

No trânsito, haverá vários condicionamentos. Além do corte total de todos os acessos ao epicentro da festa entre as 13h30 e as 20h30 deste sábado, outras mudanças estão previstas – e algumas vieram para ficar. A Rua de Passos Manuel fecha-se a carros todos os fins-de-semana até ao Natal e na Praça do General Humberto Delgado o estacionamento será proibido já a partir de domingo e até ao primeiro dia do próximo ano.

Pistas de gelo e compras

PÚBLICO -
Foto
Pistas de gelo estão na Praça D. João I e na Rotunda da Boavista Paulo Pimenta

Olhemos agora para a cidade fora dos Aliados. A iluminação estará, este ano, em 80 ruas, com mais de 2,4 milhões de micro-lâmpadas LED, um cordão de luz com mais de 26 quilómetros. A Praça D. João I volta a receber uma pista de gelo, tal como a Rotunda da Boavista, que além do recinto de chão branco tem carrosséis, pistas de carros, um comboio mágico, jogos tradicionais e mesmo uma casa do Pai Natal. O quarteirão das artes entra na programação, com inúmeras actividades, nos três sábados que antecedem a noite de Natal. Para compras, existem dois mercados de Natal (Praça da Batalha e Praça dos Poveiros) e uma feira de artesanato (no Jardim de S. Lázaro).

A agenda inclui diversas opções para os mais novos. O Projecto EZ vai protagonizar quatro experiências no espaço público, com loucura e engenho: uma máquina de onde saem prendas únicas (dia 30 de Novembro, 16h, Praça Gomes Teixeira), quatro duendes a tocar música acompanhados por bolas de sabão (dia 14 de Dezembro, 17h, Praça de Gomes Teixeira), os ajudantes especiais do Pai Natal, Augusto e a rena Rodolfo, conduzem os veículos mais loucos do mundo (7 de Dezembro, 17h, Rua de Cedofeita) e um estranho submarino a navegar desorientado, num espectáculo onde o público integra a cena (21 de Dezembro, 17h, Praça da Liberdade).

Um ciclo de seis concertos (sempre às 16h, em vários locais) com um reportório dedicado aos clássicos de Natal acontece aos sábados, com o coro Pop Up - Vozes Portáteis, e os domingos são dias de espectáculos de canto lírico pela companhia Ópera de Bolso. Para quem aprecia presépios, pode ir ver um ao vivo no centro histórico (Rua de Sousa Viterbo até à Igreja de S. José das Taipas), no dia 19, entre as 17h30 e as 19h30.