Crítica

Cabrita numa dimensão caótica, poética e existencial

Uma exposição notável que mostra o artista, sem cronologia, sem ordem, sem guião.

Foto
Uma ideia de exposição sem cronologia, sem ordem, sem guião e tão a contracorrente dos tiques institucionais das exposições em museus Nelson Garrido

A exposição tem o título sugestivo A Roving Gaze (Um Olhar Inquieto) e é assumida como um especial retrato e biografia do artista. Enunciado este que, imediatamente, faz pensar nas múltiplas exposições em que Pedro Cabrita Reis, agora apenas Cabrita, retoma muitas das suas obras dando-lhes novos tempos, novas formas, novas vidas. Será o artista que terá feito mais exposições retrospectivas e antológicas, mas de cada vez as mesmas coisas surgem transformadas e colocadas no contexto da totalidade da obra e em permanente processo de actualização e redefinição.