Álvaro Pires, o primeiro pintor português tem finalmente a sua primeira exposição no MNAA

Só deixou obra em Itália, onde se formou como artista, mas sabia escrever em português e fez questão de dar conta do lugar onde nasceu nalgumas das suas obras. Chamava-se Álvaro Pires e foi um artista emigrado na Europa do século XV. Trinta e uma das tábuas que pintou estão agora em Lisboa até 15 de Março.

Fotogaleria
No retábulo de Fossabanda, Álvaro Pires assina, preto no branco, que é um artista nascido em Évora: “Alvaro Pirez Devora Pintou” Daniel Rocha
Fotogaleria
O comissário italiano em frente ao retábulo de Fossabanda Daniel Rocha
Fotogaleria
No núcleo dedicado à arte portuguesa da época de Álvaro Pires, a pintura é a grande ausente Daniel Rocha
Fotogaleria
Dois painéis Gherardo Starnina, um dos mestres de Álvaro Pires D'Évora Daniel Rocha
Fotogaleria
Técnicos analisam estado de conservação das obras emprestadas ao museu durante a montagem da exposição Daniel Rocha

Salta à vista a importância da exposição dedicada a Álvaro Pires, considerado o primeiro pintor português, que o Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, vai inaugurar esta quinta-feira às 18h30. Que se saiba, este nome mítico da arte nacional não produziu nenhuma pintura em Portugal e acaba de ser colocada na parede do museu a única obra sobrevivente em que Álvaro Pires assina, preto no branco, que é um artista nascido em Évora. “Alvaro Pirez Devora Pintou”.