A “rainha” Tina Turner celebra 80 anos com muito rock’n’roll

Sobreviveu à violência doméstica e ao suicídio de um filho. No cenário mediático, conquistou um lugar que, por mais anos que passem, ninguém, até hoje, se atreveu a ocupar. A rainha do rock faz hoje oito décadas de vida com direito a musical na Brodway.

Foto
Na O2 Arena, Londres, em Março de 2009 Stefan Wermuth/REUTERS

Tina, O Musical estreou-se na Broadway, em Nova Iorque, a 7 de Novembro, com a presença da rainha do rock — mesmo a tempo de antecipar uma festa que, hoje, dia 26, ganha outra cor. Tina Turner completa 80 anos de uma vida preenchida, ainda que cheia de sobressaltos.

A viver na Suíça desde 1995 (e com nacionalidade deste país, desde que, em 2013, renunciou à norte-americana), Tina Turner pode afirmar hoje usufruir de uma paz que nem sempre foi o seu cartão-de-visita.

Descoberta quando era ainda adolescente pelo então famoso Ike Turner, Tina (nascida Anna Mae Bullock) depressa revelou um poder em palco que estaria reservado apenas para alguns (muito poucos) felizardos. A coroar esta presença avassaladora, a sua versão de Proud Mary, que lhe angariou um lugar entre as vozes mais incríveis, além de a ter consagrado como símbolo sexual.

No domínio privado, porém, nem tudo eram rosas. A relação com Ike Turner ficou marcada por diversos abusos que a cantora, mesmo depois de tantos anos, não consegue esquecer. Já este ano, ao New York Times, Tina Turner fez questão de frisar que não se acha capaz de perdoá-lo “por tudo o que ele fez” consigo. “Não quero necessariamente ser uma pessoa ‘forte’. Tive uma vida terrível. Apenas continuei. Continua-se e espera-se que algo aconteça... E [essa vida que esperava] chegou.”

Ike Turner morreu em 2007, aos 76 anos, na sequência de uma overdose de cocaína.

Outro duro golpe foi a morte do filho, Craig Raymond Turner, que, aos 59 anos, atentou contra a sua vida. Pouco tempo depois, à BBC, Tina confessou não saber o que teria levado Craig a tal desespero.

A reforma aos 70

Tina Turner vive na Suíça, com o marido alemão, tendo abandonado os palcos há dez anos. “Estava cansada de cantar e de fazer os outros felizes”, desabafou na mesma entrevista ao New York Times.

No entanto, nem por isso a sua personalidade saiu integralmente de cena. Tina: The Tina Turner Musical, um espectáculo baseado na sua vida e repleto de hits, já passou por Londres e Hamburgo, estando actualmente em cena na cosmopolita Broadway.

O musical, uma produção avaliada em cerca de 15 milhões de euros, é dirigido por Phyllida Lloyd (a realizadora de Mamma Mia!) e atravessa quatro décadas da vida da cantora, parando nos anos de 1980.

Tina conheceu Ike, quando tinha 16 anos; esta foto mostra-os em 1971. Tina sobreviveu à violência doméstica DR
Tina Turner com o filho Ronnie, nos anos de 1970 DR
Aos 73 anos, Tina foi capa da "Vogue" de Abril alemã, fotografada por Claudia Knoepfel e Stefan Indlekofer DR
Em 1967, na segunda capa da "Rolling Stone" DR
No Centro Kennedy, em Washington, a 4 de Dezembro de 2005 Mike Theiler/Reuters
Na estreia suíça do filme "Casino Royale", a 16 de Novembro de 2006 Siggi Bucher/Reuters
Com o príncipe Carlos, à esquerda, e a princesa Diana a cortar o bolo que celebrava os dez anos da fundação dos monarcas, durante o concerto de beneficência em Wembley, a 20 de Junho de 1986. Na foto, da esquerda para a direita, Phil Collins, Tina Turner e Rod Stewart David Osborn/Reuters
Com Beyoncé (à esquerda) na gala dos Grammys, em Los Angeles, a 10 de Fevereiro de 2008 Mike Blake/Reuters
Na Semana de Moda de Milão, em 2011 Stefano Rellandini/Reuters
A cantora assistiu ao desfile Emporio Armani, em 2011, em Milão Stefano Rellandini/Reuters
Em Zurique, a 11 de Dezembro de 2011 Romina Amato/Reuters
No dia em que anunciou o fim da sua carreira, em Zurique, para uma audiência de 40 mil fãs Reuters
Em Colónia, Alemanha, a 14 de Janeiro de 2009 Wolfgang Rattay/Reuters
Um concerto que deu o mote para uma ronda europeia Wolfgang Rattay/Reuters
No Centro Kennedy, em 2005, onde recebeu um prémio pela sua carreira e contribuição para o mundo das artes Mike Theiler/Reuters
Com Keith Richards, a 18 de Janeiro de 1989 Mark Peterson/Reuters
Mick Jagger e Tina Turner, a 18 de Janeiro de 1989 Reuters
Eric Clapton, Tina Turner e Keith Richards, em Nova Iorque, a 31 de Maio de 1989 Mark Peterson/Reuters
Leipzig, Novembro de 2004 Alexandra Winkler/Reuters
Tina Turner e Erwin Bach, na Expo 2015 de Milão Alessandro Garofalo/Reuters
Mick Jaggar e Tina Tuner, a 18 de Janeiro de 1989 Reuters
No O2 Arena, Londres, Março de 2009 Stefan Wermuth/Reuters
Em Viena Reuters
A irreverência sempre esteve em primeiro plano Reuters
Com o actor Michael Douglas Reuters
Tina Turner, James Taylor, sir Ian McKellen e Dustin Hoffman no Carnegie Hall, em Nova Iorque Reuters
Na época, a promover o tema "GoldenEye", que se celebrizou num filme do James Bond Reuters
Em 2009, em Londres Stefan Wermuth/Reuters
Na Riviera francesa, onde recebeu o título de cidadã honorária de Villefranche sur Mer Reuters
Na promoção do tema "GoldenEye" Reuters
No Kremlin, em Moscovo Reuters
Em Viena, Áustria Reuters
Nos Alpes suíços, num concerto que juntou 18 mil pessoas Reuters
Na Austrália, durante uma ronda de mais de 20 concertos pelo país Reuters
Cher e Tina Turner numa interpretação de "Proud Mary" Reuters
Tina Turner com o seu companheiro, o alemão Erwin Bach, em Julho de 2007 Miro Kuzmanovic/Reuters
Com o príncipe Carlos Reuters
Em 1999, na Alemanha Reuters
Em Fevereiro de 2005, no Festival de Cinema de Merlim Tobias Schwarz/Reuters
Em Dezembro de 2000, em Anaheim, Califórnia Reuters
Fotogaleria