Entrevista

Salvador Macip: “Vamos conseguir atrasar, parar e, talvez, reverter o envelhecimento”

Salvador Macip é um cientista catalão que investiga a biologia do envelhecimento na Universidade de Leicester, no Reino Unido. Já conseguiu prolongar a vida de moscas e preservar o cérebro de ratinhos com um fármaco. O envelhecimento, anuncia, deve ser encarado como uma doença e, como tal, pode ser travado.

Fotogaleria
Daniel Rocha
,Universidade do Algarve
Fotogaleria
O investigador Salvador Macip DR

Cita o Homem-Aranha quando fala de ciência para lembrar que “com um grande poder vem uma grande responsabilidade”. O médico, investigador e escritor, Salvador Macip fala sobre os novos avanços na área de investigação dedicada ao envelhecimento. O cientista acredita que o envelhecimento é uma doença complexa como o cancro mas que pode ser travada. Primeiro vamos encontrar uma solução para doenças associadas ao envelhecimento, antecipa. O “comprimido anti-envelhecimento” será uma realidade dentro de alguns anos e o primeiro será para as crianças que sofrem de uma doença genética que as envelhece demasiado rápido, a progéria. Depois, podem chegar as respostas para outras doenças como Alzheimer ou cancro. E, um dia, chegaremos mesmo ao ponto em que é possível ser jovem durante muito, muito tempo. Vamos ser imortais? Salvador Macip não vai tão longe, mas lembra que biologicamente a imortalidade já é possível. Este domingo, o catalão Salvador Macip vai estar em Cascais, no encontro luso-espanhol “Para um envelhecimento com bem-estar na cidade”, organizado pela Fundação D. Luís I e da Fundación Duques de Soria.