Casa Cid vai mesmo fechar portas em Fevereiro

Taberna centenária do Cais do Sodré vai fechar a meados de Fevereiro. Borja Cid está à procura de um novo local onde possa reinstalar a tasca.

Casa Cid
Foto
rui Gaudencio

A Casa Cid, taberna centenária do Cais do Sodré, vai mesmo fechar portas. Se tudo correr como prevê Borja Cid, bisneto do fundador, e que hoje toma conta do negócio, tal deverá acontecer em meados de Fevereiro, uma vez que tem de entregar as chaves a 1 de Março. 

“Chegamos a um acordo com o senhorio”, disse Borja Cid. Esta casa foi fundada em 1913, nas traseiras do mercado da Ribeira, por um galego de Ourense, Manuel Cid Nuñez, para aproveitar o movimento que o mercado gerava. Desde então, esteve sempre na família.

Há cerca de cinco anos, o prédio que alberga a Casa Cid foi comprada pelo Fundo Sete Colinas, que tem vários projectos para a zona do Cais do Sodré. Em 2015, o contrato de arrendamento transitou para o Novo Regime do Arredamento Urbano e, no ano passado, o proprietário comunicou-lhes que teriam de abandonar o espaço em Maio de 2019. Borja Cid conseguiu então negociar para ficar mais um ano. No entanto, diz agora que chegou a acordo com o senhorio, com direito a indemnização, para deixar a casa em Março. 

Depois disso, o prédio deverá sofrer obras para ser transformado num hotel. Em Agosto, o Fundo Sete Colinas, que é gerido pela Silvip, confirmava ao PÚBLICO que existia um projecto para transformar o prédio numa unidade hoteleira, mas que estava ainda “pendente um processo de licenciamento nos serviços municipais” e que “não existiam nesta data condições para assegurar a manutenção do restaurante”. 

Os proprietários ainda apresentaram uma candidatura ao programa municipal “Lojas com História”, que visa “preservar e salvaguardar os estabelecimentos [de comércio tradicional] e o seu património material, histórico e cultural, mas a atribuição desse estatuto foi rejeitada, alegando a autarquia que a Casa Cid se encontra “bastante descaracterizada”

Borja Cid está agora à procura de um novo local para reinstalar o restaurante. “Isto é a história da minha família. Ninguém da nossa família conhece o mundo sem a Casa Cid”, lamenta.