Professores com doenças comprovadas não podem mudar de escola devido a erros na documentação

Às vezes basta uma palavra estar mal grafada num dos documentos exigidos para a mobilidade por doença para que esta seja indeferida pelo Ministério da Educação, acusa Fenprof.

Foto
Cerca de 7800 professores pediram para mudar de escola este ano por motivo de doença Miguel Manso

O Ministério da Educação (ME) continua a recusar, por “motivos formais”, pedidos de mudança de escola por parte de professores que estão doentes e que precisam de estarem mais perto dos seus locais de tratamento, porque muitos são colocados longe. Para este ano lectivo foram apresentados 7786 pedido de transferência de escola, dos quais 373 acabaram indeferidos.