Miguel Manso
Foto
Miguel Manso

PÚBLICO e nove empresas associam-se para levar o jornalismo à universidade

Empresas escolheram um leque de cursos universitários e, em conjunto com o PÚBLICO, oferecem aos alunos assinaturas digitais durante um ano. Projecto PSuperior é apresentado quarta-feira, em Lisboa, numa cerimónia presidida por Marcelo Rebelo de Sousa.

O nome, PSuperior. Os promotores, o PÚBLICO, Volkswagen, Fidelidade, Mota-Engil, Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva e Associados, Google, Porto Editora, Fuel, IPG Mediabrands e Unilever. O objectivo, desenvolver hábitos de leitura de jornais junto de alunos de vários cursos de universidades públicas e privadas de todo o país.

O projecto, inédito em Portugal, complementa o PÚBLICO na Escola (para alunos até o 12.º ano) e vai ser apresentado esta quarta-feira, 20 de Novembro, ao final da tarde no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, numa cerimónia presidida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e que contará com a presença do ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, do presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, Fontainhas Fernandes, de vários reitores de universidades do país e da presidente do Conselho Nacional de Juventude, Alexandra Ruivo Cordeiro.

A mecânica do projecto é simples: cada empresa escolheu um leque de cursos universitários e, em conjunto com o PÚBLICO, oferece aos alunos assinaturas digitais durante um ano. Os alunos desses cursos têm apenas de se registar numa plataforma da edição digital do jornal e solicitar essa assinatura. Para reforçar a presença da agenda das principais questões do debate público, o PSuperior organizará seminários e conferências um pouco por todo o país. Seja através das assinaturas, seja através destas acções, o propósito deste projecto é propiciar aos jovens informação que os ajude no exercício de uma cidadania mais esclarecida e mais interventiva.

PÚBLICO -
Foto
Imagem da campanha do projecto PSuperior

O que está em causa, nota a administração da Mota-Engil, “é o reforço do conhecimento da sociedade em que nos integramos, assegurando aos jovens no ensino superior o acesso a informação credível para que sejam conhecedores do mundo que os envolve de uma forma fiável e verdadeira”.

O lançamento do PSuperior surge num contexto em que se conjugam duas necessidades: por um lado, a necessidade de as empresas de comunicação social encontrarem novos leitores para, dessa forma, garantirem a sua sustentabilidade a prazo – uma questão actual que levou o Presidente da República a pedir “meios de emergência” para a crise do sector; por outro lado, o propósito de fornecer aos jovens meios para o exercício de uma participação cívica mais consistente e permanente.

Como nota a sociedade de advogados Morais Leitão, “só há opinião com factos”, pelo que para se “ter opinião é também preciso informar-se antes de falar”. Um entendimento partilhado pela Porto Editora. “Sabemos qual é o mal e sabemos qual é a cura: ler, ler muito. Mas ler informação de qualidade, criteriosa, que acrescenta valor, que promove cidadãos activos e ajuda a construir uma verdadeira sociedade do conhecimento”, nota a administração.

As empresas que se mobilizaram neste projecto enquadram o seu investimento na esfera da responsabilidade social. “Sendo o PSuperior um projecto inovador, que permite aos jovens universitários preparem-se da melhor forma possível para o mundo do trabalho, a Unilever FIMA não podia deixar de se associar”, diz a administração desta empresa. A mesma motivação é partilhada pela Fidelidade, dizendo que o PSuperior se enquadra na sua “obrigação de apoiar o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável e das comunidades onde estamos inseridos”.

No mesmo registo, a Volkswagen considera que em causa está uma preocupação com a “valorização pessoal” dos jovens. Para a Google, a participação no projecto acolhe “o objectivo de fomentar o pensamento crítico dos jovens e ajudá-los a tomar decisões informadas”, mas justifica-se também com o contributo para “valorizar o jornalismo de qualidade”.

A mesma ambição mobilizou o interesse da multinacional de marketing e comunicação IPG Mediabrands, para a qual “o futuro da nossa democracia, da riqueza cultural e identidade do nosso país precisa do contributo de informação e conteúdos de qualidade”. Operando no mesmo segmento, a Fuel considera, por seu lado, que o PSuperior é “um projecto que tem o potencial de transformar e fazer evoluir a nossa sociedade no momento tão sério e crítico de descrença global em que vivemos”.