Câmara quer conhecer plano de investimentos para contrariar degradação na Linha de Sintra

Na Linha de Sintra constata-se “diariamente a degradação do serviço ferroviário, com atrasos constantes e supressões de comboios sistemáticas”, que se fazem sentir principalmente em horas de ponta, diz a moção.

,Transporte público
Foto
daniel rocha

A Câmara de Sintra vai pedir ao Governo e à CP o plano de investimentos para o reforço de meios humanos e de material circulante na Linha de Sintra, devido à “degradação do serviço”, prejudicando diariamente milhares de utentes.

Numa moção aprovada nesta terça-feira por unanimidade, proposta pela CDU, a Câmara de Sintra deliberou “solicitar ao Governo e à Administração da CP [Comboios de Portugal] o plano de investimento, a curto e a médio prazo, para o reforço de meios humanos e de material circulante, de modo a repor a regularidade do serviço imprescindível ao transporte dos milhares de utentes que utilizam a Linha de Sintra”.

Segundo a moção “Por um serviço de transporte ferroviário em Sintra”, na Linha de Sintra constata-se “diariamente a degradação do serviço ferroviário, com atrasos constantes e supressões de comboios sistemáticas”, que se fazem sentir principalmente em horas de ponta.

“A impossibilidade de muitos utentes conseguirem entrar nas composições, nomeadamente nas estações localizadas nos concelhos de Sintra e da Amadora, provoca a limitação diária de milhares de utentes acederem a um transporte público de qualidade, com graves prejuízos tanto para os cidadãos como para a economia nacional”, é referido.

O documento salienta ainda que “estes constrangimentos estão associados ao insuficiente parque de material circulante”.

“Já pedi ao Governo para esclarecer como vamos resolver os problemas na Linha de Sintra: prazos, datas, um plano concreto para uma situação que sabemos que não se resolve da noite para o dia. Uma coisa são as dificuldades que existem, outra coisa é ignorar problemas estruturantes no segundo maior concelho, onde vivem mais de 400 mil pessoas, de Portugal. Isso não podemos aceitar, mas estou certo de que não teremos esse grave problema político”, declarou o presidente de Sintra, Basílio Horta (PS), citado numa nota da autarquia.

Segundo a CP, na Linha de Sintra circulam diariamente mais de 400 comboios por dia útil, mas, apesar das melhorias anunciadas pela empresa, “os níveis de regularidade nesta linha têm vindo a decrescer”, é também referido na moção.

Sugerir correcção