Opinião

Mudar de tempo: a política e a arte de José Mário Branco

José Mário Branco cumpriu com o seu destino coletivo. Ele que era individualista, nunca se esqueçam disso.

Era o outono de 1991, naquela época em que muda a hora, um ano antes de Cavaco Silva ter decidido mudar o fuso horário do país. Estávamos n’A Voz do Operário. José Mário Branco sobe ao palco, não para fazer um concerto, mas para fazer um discurso de campanha eleitoral num comício, o discurso mais memorável que ouvi nessa noite.