Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR estão ao serviço da agência Frontex, da União Europeia, e operam no sul de Espanha e de Itália e em várias ilhas gregas.

Tunísia
Foto
LUSA/JOSE SENA GOULAO

A Armada a operar no sul e de Espanha e de Itália, a Polícia Marítima (PM) na ilha grega de Lesbos e a GNR nas de Samos e Chios, todas ao serviço da agência Frontex da União Europeia (UE), já salvaram 14.151 migrantes desde 2014 das águas do Mediterrâneo. Os primeiros já resgataram 1600 migrantes; os segundos salvaram 6676 — destes, os últimos 40 foram resgatados na madrugada da passada sexta-feira; e a Unidade de Controlo Costeiro da GNR 5875