Pedreiras críticas têm sinalização e vedações. Falta saber o que mais foi feito

Ministério do Ambiente e da Acção Climática vai apresentar balanço na segunda-feira, um dia antes de se cumprir o primeiro aniversário sobre o acidente que causou a morte de cinco pessoas e desencadeou este processo

A derrocada da EM 255, que passava entre duas pedreiras, desencadeou o processo em curso
Foto
A derrocada da EM 255, que passava entre duas pedreiras, desencadeou o processo em curso Nuno Ferreira Santos

Quem passar hoje junto a uma das pedreiras do país que foram identificadas como estando em situação crítica, deverá encontrar sinalização a identificá-las e, em alguns casos, vedações, mas ainda há muitas dúvidas sobre o que foi e não foi cumprido do Plano de Intervenção nas Pedreiras em Situação Crítica, criado após o acidente de 19 de Novembro de 2018, em Borba, que vitimou cinco pessoas. O Ministério do Ambiente e da Acção Climática só na segunda-feira irá apresentar um balanço do que foi feito até à data, mas quem acompanhou o processo fala em incumprimento de prazos, nomeadamente no que diz respeito às pedreiras que estão sob alçada municipal e que não terão ainda sido alvo de qualquer levantamento.