As contas do apuramento de Portugal

Portugal só depende de si para fazer, em 2020, a defesa do título europeu conquistado em 2016, em França.

Desta vez, Portugal e Fernando Santos não precisam de "calculadora"
Foto
Desta vez, Portugal e Fernando Santos não precisam de "calculadora" LUSA/ANTONIO COTRIM

Caso vença o Luxemburgo, seja por que resultado for, Portugal estará no Euro 2020. Esta é a premissa mais simples e mais segura no que diz respeito ao jogo decisivo que a selecção nacional disputa neste domingo (14h, RTP), no Stade Josy Barthel. Não há, portanto, necessidade de estar de “calculadora na mão”, desde que Portugal cumpra a sua parte do trabalho.

Para garantir a oitava presença em fases finais de Europeus – e sétima consecutiva –, Portugal pode precisar, no entanto, de menos do que uma vitória. E até uma derrota pode servir.

A selecção portuguesa entra para a última jornada do grupo B com um ponto de vantagem sobre a Sérvia, que recebe a já apurada Ucrânia, em Belgrado. Mas há um ponto essencial: em caso de igualdade entre as duas equipas, Portugal tem vantagem, fruto do empate em Lisboa (1-1) e da vitória em Belgrado (2-4).

Isto equivale a dizer que Portugal “só” precisa de replicar, no Luxemburgo, o resultado que a Sérvia obtiver frente aos ucranianos. Caso os sérvios tropecem – com uma derrota ou um empate –, Portugal até poderá sofrer uma inesperada derrota frente ao Luxemburgo. Caso a Sérvia vença, então Portugal precisa de uma vitória, já que um empate permitiria aos balcânicos fazerem a ultrapassagem “em cima da meta”.

Caso as contas favoráveis se confirmarem, Portugal estará na 11.ª fase final consecutiva entre Europeus e Mundiais.