Festival de Sevilha dá Grande Prémio do Júri a Technoboss

Filme de João Nicolau foi distinguido no festival de cinema europeu espanhol.

Foto
O realizador João Nicolau e o actor Miguel Lobo Antunes no Festival de Sevilha DR

O Festival de Cinema Europeu de Sevilha atribuiu neste sábado o Grande Prémio do Júri ao filme Technoboss, de João Nicolau.

O filme, que tem Miguel Lobo Antunes como protagonista, foi distinguido pela “elaborada, ingénua e musical doçura do seu tom e pelo humanismo que daí emana”, disse o júri.

O Giraldillo de Oro, o prémio máximo do festival espanhol, foi atribuído ao filme italiano Martin Eden, uma adaptação do romance do escritor norte-americano Jack London que esteve em competição no Festival de Veneza. O cineasta israelita Nadav Lapid recebeu o prémio de melhor realizador pelo seu filme Sinónimos, distinguido com o Urso de Ouro no último Festival de Berlim.

Segundo o júri de Sevilha, a história de Tecnoboss, que começou a sua carreira nos festivais em Locarno e se estreou a 7 de Novembro nas salas portuguesas, “põe o foco nas consequências que, tanto a passagem do tempo como as novas tecnologias, podem ter na vida do cidadão comum”. O filme, que é a terceira longa-metragem de ficção de João Nicolau (Lisboa, 1975), segue a personagem de Luís Rovisco, um vendedor de sistemas de segurança à beira da reforma que percorre o país de carro.

Num filme que se aproxima do road-movie, é ao volante que Miguel Lobo Antunes, aqui a estrear-se como actor, canta a maioria das canções de Tecnoboss, que também é uma crítica ao Portugal rendido ao turismo.

O júri da 16ª. Edição foi composto por Lucía Alemany, Serge Bozon, Mirsad Purivatra, Elías León Siminiani e Ada Solomon.