Opinião

A taxa liberatória é um presente para os 10% mais ricos; tem a certeza que a quer?

A taxa liberatória contribui para uma tendência preocupante de criar regimes de exceção para os rendimentos de capital.

Em face da proposta do governo de englobar os rendimentos prediais, a Associação Portuguesa de Proprietários acenou com a “declaração de óbito do mercado de arrendamento”, ao passo que a Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária optou pelo mero “efeito perverso” no dito mercado. No debate quinzenal, a polémica girou em torno do aumento da carga fiscal das famílias, pela voz de Cecília Meireles e João Cotrim Figueiredo, acompanhados por Paulo Núncio, ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, em entrevista ao PÚBLICO.