PAN faz depender morte assistida do parecer positivo de três médicos

O partido entregou esta terça-feira um projecto de lei na Assembleia da República para discussão da despenalização da morte medicamente assistida. O PAN junta-se ao Bloco de Esquerda que já tinha também apresentado proposta semelhante no primeiro dia do novo Parlamento.

Hospital
Foto
Propostas anteriores foram chumbadas na anterior legislatura com uma baixa diferença de votos Paulo Pimenta

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) entregou esta terça-feira no Parlamento um novo projecto de lei para regular o acesso à morte medicamente assistida no qual propõe que ​o doente possa formular o seu pedido junto de um “médico à sua escolha”, devendo, num segundo momento, consultar um especialista na patologia que o afecta e passar, ainda, pelo crivo de um psiquiatra. Só com parecer positivo destes três clínicos o processo pode ter seguimento.