Unsplash
Foto
Unsplash

Megafone

Como ajudar a curar o cancro com um computador

E como um português está na linha da frente do projecto Folding at Home.

Sabiam que todos nós podemos ajudar a curar o cancro e outras doenças como Parkinson, Alzheimer ou doença de Huntington? A verdade é que podemos mesmo fazer a diferença através do projecto Folding at Home, um software que faz com que disponibilizemos o poder computacional dos nossos computadores pessoais para ajudar em cálculos complexos em simulações no âmbito da pesquisa científica para encontrar a cura para essas doenças.

Antigamente a investigação científica fazia-se com base no método de tentativa-erro. Hoje em dia, a investigação encontra-se cada vez mais computadorizada, recorrendo a simulações virtuais que, pela sua complexidade, necessitam de um poder computacional tão grande que só os computadores das universidades já não chegam. E a maioria de nós tem em casa ou no trabalho computadores com capacidade para ajudar — e literalmente todos os computadores ajudam.

Basta ir a foldingathome.org, fazer download do software e instalá-lo no vosso pc, mac ou linux. O software é totalmente gratuito e seguro. A partir do momento em que o descarregamos, estamos a disponibilizar parte do poder de computação do nosso computador pessoal e isto faz toda a diferença. O nosso computador passa a fazer cálculos sobre os dados científicos e depois disso envia os resultados para os investigadores, ajudando muito a comunidade científica e desta forma contribuindo decisivamente no caminho para a cura destas doenças.

Este projecto foi criado no laboratório Pande, liderado pelo cientista Vijay Pande, da Universidade de Stanford, há quase 20 anos e neste momento conta com centenas de milhares de utilizadores em todo o mundo. No entanto, todos somos poucos e a ajuda de cada um de vós pode ser fulcral no esforço conjunto voluntário para a descoberta da cura destas doenças.

Eu conheci e juntei-me a este projecto, disponibilizando o poder computacional do meu macbook porque uma das caras do mesmo é um português chamado Pedro Valadas, criador da comunidade PCMR (entusiastas de PC). O Pedro faz parte da direcção de comunicação do projecto, juntamente com representantes da Ubisoft, Universidade de Stanford e do IKEA, e tem como objectivo melhorá-lo, de forma a aumentar o número de utilizadores (estão neste momento a tentar chegar ao milhão de utilizadores) e torná-lo cada vez mais eficaz.

É muito simples ajudar e trata-se de um incrível projecto de cientistas e laboratórios de algumas das mais cotadas universidades do mundo, que usa o que nós temos de melhor: a nossa vontade de ajudar outras pessoas. Por já todos nós termos perdido alguém para estas doenças, mas sobretudo porque todos nós queremos ajudar na descoberta das curas, vamos começar a ajudar. Vamos fazer folding at home.