Primeiro Marlboro Man, o único que nunca fumou, morreu aos 90 anos

Em 1950, o rancheiro ‘Bob’ Norris tornou-se na estrela da marca de cigarros Marlboro, apesar de nunca ter fumado um cigarro na vida.

Foto
O Marlboro Man numa parede pintada em Nova Iorque. Esta imagem seria tapada em 1999, numa campanha contra o tabagismo nos EUA Reuters/Peter Morgan

O norte-americano Robert ‘Bob’ Norris morreu esta semana, aos 90 anos, no estado norte-americano do Colorado. Actor, filantropo e rancheiro, Norris fica para a história como o primeiro homem a interpretar a personagem do Marlboro Man – a imagem do cowboy destemido, com um cigarro da marca no canto da boca, que protagonizava um dos mais icónicos anúncios da década de 1950, que continuaria a ser recordado mesmo depois de ter sido banido à luz de regras mais apertadas contra o tabagismo, quando se descobriu e comprovou a ligação entre o tabaco e o cancro pulmonar e outras doenças respiratórias.

Norris morreu no passado dia 3 de Novembro, mas a notícia do óbito só agora foi divulgada pelos meios de comunicação social norte-americanos. De acordo com o obituário, o rancheiro morreu no hospício Pikes Peak, rodeado da família. E o tabaco não foi a causa.

Apesar de ter sido estrela dos anúncios do gigante do tabaco, o próprio Norris nunca fumou. De acordo com o filho, Bobby Norris, foram os profissionais de marketing da Marlboro que convenceram o norte-americano a encarnar a personagem do cowboy depois de verem uma fotografia do rancheiro num jornal na região.

“Estes homens vestidos com fatos às riscas saíram do carro, foram ter com o meu pai e perguntaram ‘Gostava de aparecer em anúncios para os cigarros Malboro?’”, recordou o filho numa entrevista à estação de televisão local WKYT. À primeira, Norris recusou. “Estou ocupado”, terá dito. “Se estiverem a falar a sério, regressem para a próxima semana.” Regressaram e Norris foi o rosto da Marlboro durante mais de uma década.

PÚBLICO - Inicialmente a marca orientava-se apenas para mulheres com o slogan "Mild as may"
Inicialmente a marca orientava-se apenas para mulheres com o slogan "Mild as may" Wikipedia Commons
PÚBLICO - Com o Marlboro Man, a marca de cigarros queria mostrar que também podia ser para homens
Com o Marlboro Man, a marca de cigarros queria mostrar que também podia ser para homens Wikipedia Commons
Fotogaleria
Wikipedia Commons

Na altura, os executivos da Marlboro – que inicialmente tinham apresentado os seus cigarros de filtro como um produto para mulheres –, estavam a tentar descobrir uma forma de os vender a homens, tendo de demonstrar que não eram só para senhoras. A imagem de Norris, como um cowboy que transmitia virilidade e força, foi considerada o meio ideal. 

A carreira acabou quando o rancheiro percebeu que era um mau exemplo para os filhos. “O meu pai estava sempre a dizer ‘nunca vos quero ver a fumar’”, recordou Bobby Norris à WKYT. Numa dessas conversas, os filhos perguntaram porque dizia isso quando era a estrela da Marlboro. Norris deixou de ser o Marlboro Man nesse mesmo dia.

O norte-americano não foi a única estrela da marca. Eric Lawson, David McLean, e David Millar são outros nomes que também desempenharam a personagem icónica. Porém, e ao contrário de Norris, todos eram fumadores e todos morreram com doenças pulmonares (houve ainda mais um nome de uma das caras da marca cuja morte chegou a ser associada ao tabagismo, mas esse caso nunca foi provado).

Como filantropo, Norris ficou conhecido por organizar corridas especiais para crianças com deficiência e, em 1988, fundou a Roundup for Autism, uma organização sem fins lucrativos criada para informar e angariar donativos para pessoas com autismo no Texas. Apesar de ter nascido em Chicago, no Illinois, em 1929, desde cedo que soube que queria ser rancheiro e trabalhar ao ar livre. Começou a criar cavalos aos 18 anos, tendo comprado o seu rancho no Colorado em 195o. 

Norris deixa quatro filhos, 13 netos e 18 bisnetos. Em vez de flores, a família pediu que os fãs e amigos interessados enviassem doações à Roundup for Autism em homenagem ao rancheiro.