Opinião

Os filhos eram tudo para ele...

Dentro de meses, saberemos melhor os efectivos contornos do direito europeu à vida.

Saber até onde pode – e deve – o Estado meter-se na vida dos cidadãos e das famílias é uma questão sem soluções fáceis. No campo da violência doméstica, muitas vezes, a intervenção do Estado peca por ser tardia e, por vezes, irremediavelmente tardia.