Na Rua, Ainda Sou Eu: uma campanha para mostrar que todos podemos ser e deixar de ser sem-abrigo

Um vídeo de um minuto e 35 segundos que mostra, paralelamente, a rotina de três pessoas que, por onde passam, ignoram e menosprezam pessoas sem-abrigo que outrora lhes forneceram serviços. São vidas que se cruzam na rua, mas que se podiam ter cruzado em noutro local, noutro tempo. Vidas que, a qualquer momento, podem trocar de lugar.

Assim é a realidade das pessoas em situação de sem-abrigo: elas não sabiam que viriam a passar por isso. Com a campanha Na Rua, Ainda Sou Eu, a associação Saber Compreender quer “humanizar estas pessoas e demonstrar que pode acontecer a qualquer um”, conta ao P3 o produtor Filipe Gaspar. Bruno Moreira, que também assinou o filme da Marcha do Orgulho LGBT de 2019 do Porto, é o realizador deste vídeo, que vai contar também com uma versão inglesa – On The Street, It's Still Me –, dirigida a toda a Europa. Toda a equipa trabalhou de forma voluntária.

Em Portugal, mais de quatro mil pessoas vivem em situação de sem-abrigo; na Europa, mais de um milhão estão nesta condição. Um dos objetivos desta campanha “é apelar à resolução do problema”.

Sugerir correcção