Rui Gaudêncio
Entrevista

Miguel Lobo Antunes: um sedutor, naturalmente

Está no domínio do “indizível”, diz, o que se passou entre ele e João Nicolau, o que fez o realizador decidir-se por um actor não profissional e o que fez um aposentado aceitar ser instrumento de um criador. Foi uma questão de afecto, de ternura. Miguel Lobo Antunes entregou-se a um cineasta. Filme e realizador deixaram-se ocupar — e algo se transforma com o terno ocupante.

No universo filtrado do realizador de A Espada e a Rosa (2010) e John From (2015), a presença de Miguel Lobo Antunes surge como uma terna ameaça.