Josefinas vão aos EUA e unem-se ao movimento #MeToo contra a violência doméstica

Criadoras de peças de roupa e calçado que têm por mote inspirar e dar poder às mulheres têm encontro marcado com Tarana Burke, fundadora do movimento.

camiseta
Fotogaleria
Parte das receitas das vendas destas peças revertem para causas contra a violência doméstica DR
Eu também movimento
Fotogaleria
Tarana Burke é tida como fundadora do movimento #MeToo Eduardo Munoz/Reuters

Homenagear sobreviventes de violência doméstica e continuar a lutar pelo fim do flagelo é o propósito de “Being Brave, An Evening Honoring Survivors”, um evento que decorre, esta sexta-feira, em New Jersey, EUA, e que conta com as portuguesas Filipa Júlio e Maria Cunha, criadoras da marca Josefinas, e com Tarana Burke, fundadora do movimento #MeToo e activista pelos direitos humanos.

Em destaque, estarão as T-shirts da colecção “You Can Leave” que serão usadas pela reconhecida jornalista Lisa Guerrero, que estará a apresentar o evento. “É uma honra fazer parte desta colaboração entre a Town Clock Community Development Corporation e a Josefinas”, disse Guerrero, citada em comunicado, acrescentando estar “ansiosa por partilhar estas T-shirts incríveis com pessoas de todo o mundo”.

De referir que parte das receitas das vendas destas peças revertem para causas contra a violência doméstica. A CEO e directora criativa da empresa, Maria Cunha, informou, citada também em comunicado, que “a missão das Josefinas foi, desde a criação, empoderar as mulheres e é, também, por isso que nos honra muito esta parceria com a Town Clock, que luta contra a violência doméstica e a quem vamos doar 30% das vendas internacionais da T-shirts durante três meses”.