Torne-se perito

Dois pescadores norte-coreanos matam 16 colegas em alto mar

Os dois suspeitos fugiram depois para a Coreia do Sul, que os deportou para o Norte.

Coreia do Norte
Foto
Imagem de arquivo DAMIR SAGOLJ/Reuters

Dois pescadores norte-coreanos terão matado 16 membros da tripulação da sua embarcação em alto mar e fugido de seguida para a Coreia do Sul, que acabou por os extraditar para o Norte.

Os suspeitos entraram em águas territoriais sul-coreanas no sábado e foram detidos dois dias depois.

De acordo com informações divulgadas pela agência de notícias sul-coreana Yonhap, citada pela BBC, os dois pescadores confessaram que, junto com uma terceira pessoa, mataram o capitão da embarcação de pesca no final de Outubro, devido ao que consideravam ser a sua atitude severa perante os subordinados. Posteriormente, os três suspeitos mataram os restantes membros da tripulação, que terão contestado os seus actos, atirando os corpos ao mar.

Após os homicídios, os três homens regressaram à Coreia do Norte. No entanto, o terceiro suspeito acabou por ser capturado pelas autoridades locais ao desembarcar, pelo que os outros dois decidiram fugir de barco para a Coreia do Sul.

Embora a Coreia do Sul conceda frequentemente asilo a vítimas e dissidentes do regime ditatorial de Pyongyang, neste caso Seul considerou que os dois pescadores eram efectivamente criminosos e que representavam uma ameaça à segurança nacional. Os suspeitos, com cerca de 20 anos, acabaram depois por ser extraditados para a Coreia do Norte, através da vila fronteiriça de Panmunjom, na zona desmilitarizada entre as duas nações.

Segundo a BBC, esta é a primeira vez que a Coreia do Sul deporta alguém para o Norte através de Panmunjom, não existindo nenhum acordo de extradição entre os dois países.

São frequentes as tentativas de fuga de cidadãos norte-coreanos que tentam escapar ao regime autoritário de Kim Jong-un. Após atravessarem a fronteira, os fugitivos são habitualmente interrogados pelos serviços de inteligência sul-coreanos e mantidos durante um período de tempo em instalações do Governo antes de serem reintroduzidos na sociedade.

De acordo com dados disponibilizados por Seul, citados pela BBC, em 2017 registaram-se 1127 deserções da Coreia do Norte para a Coreia do Sul.

Sugerir correcção