O Mosteiro de Alcobaça vai ser o paraíso dos doces conventuais

Durante quatro dias, o monumento acolhe o “melhor do receituário conventual”, de Alcobaça e não só, entre outros mosteiros, conventos e pastelarias. É a Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais, de 14 a 17 de Novembro.

Fotogaleria
DR/CM Alcobaça
Fotogaleria
DR/CM Alcobaça
Fotogaleria
DR/CM Alcobaça
Fotogaleria
DR/CM Alcobaça
Fotogaleria
DR/CM Alcobaça
Fotogaleria
DR/CM Alcobaça

Em 2018, o prémio de melhor doce conventual dividiu-se por três delícias: a Barriga de Freira da Pastelaria Alcôa, o Amor Meu do Atelier do Doce (ambas de Alcobaça) e o Pão-de-ló da Flor de Liz de Ovar. Em 2019, voltam todas a participar na Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais a decorrer no Mosteiro de Alcobaça, classificado Património da Humanidade pela UNESCO desde 1989.

Fazem parte do lote de mosteiros e pastelarias que marcam presença nesta 21.ª edição do evento dedicado à melhor doçaria. Dos 32 que compõem a comitiva portuguesa, metade são da anfitriã Alcobaça. A produção estrangeira chega de Espanha, França e Bélgica.

O menu dá primazia à herança secular dos monges e monjas de Cister, ordem que este ano tem a maior representação de sempre.

Esta edição traz outra novidade: a Botica dos Monges, um espaço exclusivo para a degustação de licores, instalado numa tenda na Praça Dom Afonso Henriques.

Mas o paladar não é o único sentido adoçado pela mostra. Há também regalos para os olhos e ouvidos: na igreja, o ciclo Sons do Silêncio oferece concertos de grupos corais, enquanto o Claustro de D. Dinis serve de tela a um espectáculo contínuo de videomapping intitulado Ora et Labora

PÚBLICO -
Foto
DR

O espectáculo, obra da Gema Digital, será “alusivo à história do Mosteiro, à presença dos monges Cistercienses e à sua herança gastronómica, nomeadamente a cultura, o cultivo da terra, os doces e licores e a música”, informa a organização. “São a história dos acontecimentos, dos monges que lá moram e moraram… mas também dos produtos que eles criaram”. O conceito "nasce da regra de São Bento que reza: ‘Orar’ é tão importante quanto ‘Laborar'”.

Na programação, destaque também para o concurso de melhor doce e melhor licor conventuais de 2919: a decisão será anunciada pelo júri no dia 14 de Novembro.

Este ano, “devido às obras de requalificação” do mosteiro, informa a autarquia de Alcobaça, organizadora da mostra, esta terá uma nova entrada – pela Igreja do Mosteiro.