Opinião

Porquê celebrar o Dia Mundial do Cinema?

O cinema também pode e deve ser um meio de desenvolvimento educativo e de aumento da literacia das nossas populações.

Celebra-se hoje o Dia Mundial do Cinema e é importante que celebremos esta data! É importante que celebremos esta data porque o cinema é hoje a forma dominante de expressão artística e cultural na nossa sociedade, e constitui um fator central de afirmação da nossa cultura e propagação dos valores que nos unem, e que contribuem para o nosso desenvolvimento.

Mas o cinema não é só um elemento central para o desenvolvimento cultural da nossa sociedade. O cinema também é uma atividade económica importantíssima. Senão vejamos: em 2018, e em linha com anos anteriores, as admissões em salas de cinema cresceram genericamente em todos os países europeus, e o número de ecrãs disponíveis também não parou de crescer (dados: Observatório Europeu de Audiovisual, 2019).

Em 2017 produziram-se em toda a Europa (28) 2200 filmes que chegaram a mais de 470 milhões de espetadores. As exportações de cinema europeu cresceram 42% em 2018, com mais de 195 milhões de bilhetes vendidos para sessões de filmes europeus fora do espaço europeu. Para se ter uma noção do valor económico desta atividade, basta constatar que, só em 2017, os espetadores de salas de cinema na Europa geraram um influxo de mais de sete biliões de euros para o setor.

Mas o crescimento da distribuição de cinema não se limita às salas de cinema, com o mercado europeu de SVOD a conhecer também um crescimento exponencial. Na Europa, o mercado cresceu sempre mais de 40% ao longo dos últimos cinco anos e em 2018 havia mais de 50 milhões de subscritores de plataformas de distribuição digital de cinema em toda a Europa. E a produção e distribuição de cinema no espaço europeu só irá crescer ainda mais nos próximos anos! Com a obrigatoriedade de implementação, até 19 de setembro de 2020, da nova diretiva europeia de serviços audiovisuais (AVMSD), estima-se um crescimento exponencial da produção em todos os países europeus, nomeadamente como consequência da imposição de um regime de quotas (30%) e proeminência aos conteúdos produzidos localmente.

Mas o cinema também pode e deve ser um meio de desenvolvimento educativo e de aumento da literacia das nossas populações. Experiências como a de Israel, onde o cinema constitui uma metodologia de ensino no ensino secundário, a par com as literacias escritas mais tradicionais, já transpõem para o domínio educativo o papel central que a imagem em movimento e o som têm na nossa sociedade.

Dir-me-ão que me limitei a apresentar números europeus e a falar de realidades externas, para defender o papel essencial do cinema na nossa sociedade, e que em Portugal as coisas não são bem assim. São conhecidas as dificuldades do cinema português em atingir quotas internas similares àquelas que encontramos, por exemplo, em diversos países nórdicos, para o consumo de conteúdos localmente produzidos. No entanto, também é verdade que muito tem melhorado a este nível ultimamente, nomeadamente como consequência do crescimento do volume de produção e circulação de obras cinematográficas, e também é verdade que o reconhecimento internacional do nosso cinema é muito elevado e que hoje existe uma perceção internacional do que é um cinema feito em Portugal. E para continuar a aumentar a relevância do nosso cinema na nossa sociedade, é preciso continuar a fazer mais, a distribuir mais, a criar mais oportunidades de se ver e discutir cinema.

Celebrar o cinema é ver e discutir cinema, é criar oportunidades para todos podermos beneficiar do potencial e riqueza do nosso património cinematográfico. Celebrar o cinema é ver e discutir cinema, mas também é saber reconhecer o lugar central do ensino e das práticas artísticas no contexto do nosso sistema de ensino superior e não superior, e o seu contributo para o domínio da investigação e desenvolvimento científico. Celebrar o cinema é ver e discutir cinema, mas também é saber reconhecer e explorar o potencial económico deste meio, com ele promovendo o lugar central que as indústrias culturais e criativas podem ter para o desenvolvimento do nosso país. É por tudo isto que devemos celebrar o Dia Mundial do Cinema!

O autor escreve segundo o novo Acordo Ortográfico