Milhares protestam contra presença de Felipe VI e da família real em Barcelona

Independentistas enchem as ruas da cidade catalã para criticar rei de Espanha e dificultar acessos ao Palácio de Congressos da Catalunha.

Fotogaleria
Alguns manifestantes queimaram cartazes com a cara de Felipe VI EPA/Enric Fontcuberta
Fotogaleria
Manifestantes pegam fogo a uma fotografia do rei Reuters/ALBERT GEA
Manifestação foi convocada por grupos civis independentistas
Fotogaleria
Manifestação foi convocada por grupos civis independentistas Reuters/ALBERT GEA
Cordão policial na Avenida Diagonal
Fotogaleria
Cordão policial na Avenida Diagonal Reuters/ALBERT GEA
Cartaz com a cara de Felipe VI
Fotogaleria
Cartaz com a cara de Felipe VI Reuters/ENRIQUE CALVO
Fotogaleria
Felipe VI e a família presidem à entrega de prémios da Fundação Princesa de Girona EPA/Quique Garcia

Milhares de pessoas saíram esta segunda-feira à rua, em Barcelona, para criticar a visita de Felipe VI, rei de Espanha, à cidade, e dificultar os acessos ao Palácio de Congressos da Catalunha, onde decorre a cerimónia de entrega de prémios da Fundação Princesa de Girona, presidida pela família real.

Para além dos gritos e dos cânticos contra o monarca e as “forças de ocupação” espanholas que se fazem ouvir na cidade condal, escreve o jornal Vanguardia, muitos manifestantes levaram tachos, panelas e apitos para fazer barulho, e cartazes com a cara do rei virada de cabeça para baixo. Alguns destes cartazes foram queimados.

Convocada por organizações civis e estudantis independentistas, como a ANC, os CDR e a Arran, e com o apoio ou a participação de representantes dos partidos políticos que suportam o governo catalão – CUP, JxCat e ERC –, a manifestação obrigou as forças policiais a montarem um enorme dispositivo de segurança em redor do local do evento, que incluiu o corte da Avenida Diagonal e a disposição de um cordão policial nas imediações do Palácio.

A cerimónia conta com Felipe VI, a rainha Letícia, a princesa Leonor e a infanta Sofia, mas foi boicotada pela Generalitat e pela presidente da câmara de Barcelona, Ada Colau. O bloqueio dos manifestantes a algumas ruas adjacentes ao Palácio de Congresso, fez com que o evento tenha começado sem a presença de todos os convidados.

Barcelona tem sido o principal palco das manifestações do movimento independentista catalão desde que, em meados de Outubro, o Supremo Tribunal de Espanha condenou nove dos 12 dirigentes envolvidos no referendo secessionista e na declaração de independência a penas de prisão até aos 13 anos, pelos crimes de sedição e desvio de fundos públicos.