O mundo ainda não acabou e The End of The F***ing World volta para a sua última temporada

A série britânica foi um sucesso inesperado e deixou em aberto o destino do protagonista nos últimos segundos da primeira temporada. Agora, regressa para aquela que deverá ser a última temporada, de acordo com a guionista Charlie Covell.

,Netflix
Foto
Alex Lawther (James) e Jessica Barden (Alyssa) NETFLIX

Uma narrativa bizarra com personagens estranhas, marcada pela sanguinolência e humor negro. Assim é o mundo da série britânica The End of The F***ing World, cuja segunda temporada chega ao Netflix a 5 de Novembro — e que, segundo a guionista Charlie Covell, deverá ser a última temporada da série. Começou a ser exibida em Outubro de 2017 e há quase dois anos que se esperava para conhecer o destino incerto do protagonista James. A série tem cerca de 20 minutos por episódio e oito episódios por temporada — e, à boa maneira do streaming, todos os episódios serão disponibilizados de uma só vez.

Ainda que seja uma produção britânica, a série parte da banda desenhada de traço minimalista do norte-americano Charles Forsman, um livrinho de 136 páginas publicado em 2013, com o mesmo nome (mas sem asteriscos) e muitas vezes referenciado pela sigla TEOTFW. Mas, na série, a narrativa passa-se no Sul de Inglaterra e conta a história do protagonista James, um adolescente de 17 anos (interpretado por Alex Lawther) desligado da realidade e desprovido de sentimentos, mas convencido de que é um psicopata. Para passar de matar animais para matar humanos, escolhe então a sua primeira vítima: Alyssa (Jessica Barden), que anda na mesma escola e tem também uma personalidade bizarra; os dois actores representam menores, ainda que Lawther tenha 24 anos e Barden 27. Para se aproximar dela, finge que se apaixona e vê-se apanhado na sua própria armadilha, aprendendo involuntariamente a preocupar-se e a gostar de alguém. Nesta temporada será ainda introduzida uma nova personagem chamada Bonnie (interpretada por Naomi Ackie), que tem uma estranha ligação com Alyssa.

A primeira temporada terminou com um final ambíguo para o personagem James: nos últimos segundos do episódio, ouve-se o tiro de uma arma com o ecrã já negro e não se percebe se James foi fatalmente atingido ou não; e, se foi, se foi por um disparo da polícia ou da própria arma que levava consigo. O Netflix lançou um trailer da segunda temporada na quinta-feira em que, sem falas, se vê a personagem Alyssa vestida de noiva, ao som de White Wedding, de Billy Idol, num quotidiano sombrio. Até começar a segunda temporada, o destino de James permanece uma incógnita.

A série foi escrita pela britânica Charlie Covell (tanto na primeira como na segunda temporada) e os episódios são realizados por Lucy Forbes e Destiny Ekaragha. A banda sonora original fica novamente a cargo do guitarrista dos Blur, Graham Coxon.

Originalmente produzida pelo Channel 4, foi mais tarde disponibilizada pelo Netflix, sendo agora produzida por ambos. Apesar de não haver confirmação oficial, a guionista da série disse em entrevista à Radio Times que esta será a temporada final e que não haverá mais. “Por mim, fica assim. Penso que estar a tentar e a batalhar para conseguir mais seria errado, gosto de onde deixámos [a narrativa]”.

Foi um sucesso inesperado e plantou-se o receio de que uma segunda temporada pudesse estragar o brilhantismo do final da primeira. “Há muita pressão, mas esta pressão só existe porque as pessoas gostaram de algo que criámos em conjunto” — e diz que haverá uma mudança e que gosta do final que deu à série. Afinal, “não se pode escrever aquilo que as pessoas querem”, mas sim “aquilo que parece ser a coisa acertada para a história”.